sexta-feira, 24 de março de 2017

Bondade recompensada

“Quem é generoso será abençoado, pois reparte o seu pão com o pobre.” Provérbios 22:9

OBJETIVO: Compreender que devemos ser hospitaleiros.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupas dos tempos bíblicos, carinhas de mulher no palito (feliz e triste),
tapetinho de oração.

INTRODUÇÃO: Quem gosta de receber visitas? É muito bom ter amigos, parentes nos visitando...
Geralmente a comida é especial, a casa é toda arrumada, tem sobremesa diferente; o melhor que
temos, nós oferecemos às nossas visitas. Havia uma mulher em Suném que também gostava de
receber visitas.

HISTÓRIA (2 Reis 4: 8-37): Toda vez que o profeta Eliseu ia à Palestina, ele passava por um lugar
chamado Suném. Ali vivia um casal rico e muitas vezes o profeta parava na casa deles para descansar
e comer.
Certo dia, a esposa falou com o marido que tinha certeza que aquele homem que os visitava era
um profeta do Senhor. E que deveriam fazer um quarto para ele para que tivesse um lugar adequado
para descansar de suas viagens. E assim fizeram.
O profeta ficou muito grato a eles e queria recompensá-los, de alguma forma. Então, seu servo
disse a ele que eles não tinham filhos e que o marido já era idoso. Então, o profeta disse àquela
mulher que dentro de um ano ela seria mãe. Apesar de ela ter ficado receosa, o Senhor cumpriu a
promessa. E ela teve um lindo bebê. Era a alegria da casa; o centro das atenções.
Mas, quando o menino já estava crescido, ficou muito doente, sentia muita dor de cabeça. E sua
mãe fez tudo o que podia para salvá-lo, mas ele morreu. Ela então o colocou no quarto do profeta e
pediu para prepararem uma jumenta para ir ao encontro do profeta. Não disse nada a seu esposo para
não preocupá-lo. Eliseu regressou com ela, subiu ao quarto e viu o menino morto em cima da sua
cama. Fechou a porta, orou muito ao Senhor. Aqueceu o menino, e este espirrou sete vezes e abriu os
olhos. Um milagre acabara de acontecer!
Aquela mãe ficou muito feliz. Caiu ajoelhada, expressando gratidão ao profeta e, acima de tudo,
a Deus.

APELO: Depois desta história tão linda sobre hospitalidade e milagre, podemos concluir que quando
somos hospitaleiros, podemos estar hospedando anjos (como diz uma música). E você, amiguinho,
quer ter essa atitude de hospitalidade?




quinta-feira, 16 de março de 2017

O relógio que atrasou

“Os vivos, somente os vivos, esses te louvam como hoje eu o faço...”. Isaías 38:19

OBJETIVO: Fazer com que as crianças entendam que o cuidado de Deus por nós ultrapassa os
limites da Natureza.

RECURSOS UTILIZADOS: Diversos tipos de relógios, providenciar a gravura de um relógio de sol, maletinha com curativos e materiais para tratar ferimentos.

INTRODUÇÃO: O que vocês fariam, se estivessem passando por um momento bem complicado?
Estar doente, ter ficado longe do seu melhor amigo, mudar de escola... Um rei passou por um problema
bem difícil, e sabem o que ele fez? Foi falar com Deus... aconteceu o seguinte...

HISTÓRIA (2 Reis 20: 1-11): O rei Ezequias estava muito doente. O profeta Isaías informou que a
doença dele era mortal, que ele não viveria muito tempo. Ele não aceitou. Mas não procurou médicos,
foi ao maior Médico de todos, que é Deus. Em prantos, ele suplicou a Deus que poupasse sua vida,
considerando que ele Lhe tinha sido sempre fiel.
Deus ouviu a oração de Ezequias, e mandou novamente o profeta Isaías ao palácio com a seguinte
informação: “Daqui a três dias você voltará ao normal. Acrescentarei mais 15 anos à sua vida”. Ezequias
perguntou se poderia ter um sinal de que seria curado mesmo.
Como resposta, Isaías apontou para o relógio de sol existente no jardim e explicou que, como sinal,
Deus iria fazer com que a sombra ali refletida, adiantasse 10 graus. Ou você prefere que a sombra
atrase? Perguntou. Ezequias respondeu que era fácil a sombra adiantar, preferia que atrasasse.
Enquanto Isaías orava, da janela do palácio, o rei viu a sombra mover-se, um grau...dois...três...cinco...
dez. Incrível, não é? Ninguém sabe como foi possível isso acontecer, mas foi percebido até nos relógios
de sol da Babilônia, a centenas de quilômetros de distância. Provavelmente, o mundo inteiro
sentiu essa diferença no sol. Muitas pessoas questionaram sobre o que estava acontecendo. Elas não
imaginavam que o Senhor que fez o Céu e a Terra poderia parar o relógio do tempo.
Passados três dias, Ezequias já estava trabalhando novamente no palácio. E foi nessa ocasião que
ele fez essa oração: “Estive em grande amargura, mas o Senhor lançou para trás os meus pecados,
porque morto não poderia louvá-Lo como faço hoje.”

APELO: Queridos, todos os dias nós precisamos de milagres. E eles acontecem repetidamente, mas
sabem de uma coisa: muitas vezes, nossos olhos estão fechados e não conseguimos enxergar. Quem
de vocês quer pedir hoje para que o nosso Deus abra nossos olhos para vermos os milagres que Ele
tem feito em sua vida?




sexta-feira, 10 de março de 2017

O coral da vitória

“Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és Tu o Deus que está nos Céus? Tu governas
sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em Tuas mãos, e
ninguém pode opor-se a Ti”. 2 Crônicas 20:6

OBJETIVO: Explicar às crianças que o louvor faz parte da adoração a Deus, e é uma forma de demostrar nossa gratidão.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupa de rei, coroa, escudo, gravuras de mãos em posição de oração,
música de agradecimento.

INTRODUÇÃO: Alguém aqui já cantou em um coral? É lindo um coral, vozes diferentes que se
harmonizam, louvando a Deus. Nossa história hoje vai contar sobre a apresentação de um coral um
pouco diferente.

HISTÓRIA (2 Crôn. 20:1-18): Josafá foi amigo de Deus e um rei muito honesto. Enquanto rei, ele destruiu os ídolos, derrubou os altares pagãos e incentivou o povo a seguir os caminhos do verdadeiro Senhor.
Certo dia, chegou a ele uma notícia que o deixou muito preocupado: Os exércitos de Amom e Moabe
iriam atacar o povo de Judá. Então, ele foi falar imediatamente com Deus, implorando orientação e
auxílio. Porém, pediu ao povo que jejuasse e que todos fossem ao templo (igreja) para orar.
Logo, uma multidão se concentrou no pátio, e o próprio rei Josafá orou assim: “Senhor, Tu és o
Deus do Céu e governas todos os povos. Ó Deus, Tu expulsaste os habitantes desta terra, quando
aqui chegou o Teu povo. Tu deste esse lugar a eles. Entregaste esta terra para os descendentes do Teu
amigo Abraão. Aqui, construímos o Teu templo, e Tu prometeste que sempre que houvesse calamidade,
guerra, doença ou fome, deveríamos vir aqui pedir a Tua ajuda e Tu nos ouvirias”.
O rei terminou dizendo: “Não temos força contra essa multidão que avança contra nós. Não
sabemos o que fazer, por isso, temos os olhos postos em Ti!” Que oração poderosa!
Assim que Josafá terminou a oração, um jovem chamado Jaziel dirigiu-se à multidão e disse que
tinha uma mensagem de Deus. Deus havia dito: “não se assustem por causa desse grande exército,
porque essa luta é Minha. Não é necessário lutar. Amanhã, saiam ao encontro deles. E Eu, o Senhor
estarei com vocês.” Maravilhoso, não é?
Já imaginou, você diante de uma batalha, se sentindo incapaz e o Rei, o grande General, lutar em
seu lugar?
No dia seguinte, o povo estava confiante, pois Deus estaria com eles! Então, eles resolveram cantar.
Isso mesmo, um grande coral se formou e louvaram a Deus, agradecidos pela vitória que teriam.
A Bíblia diz que, enquanto cantavam, o Senhor fez com que os exércitos guerreassem entre eles.
E a única coisa que o povo de Deus fez, foi recolher os despojos de guerra (animais, joias, dinheiro,
roupas). Voltaram maravilhados com a maneira como Deus os havia livrado dos inimigos.

APELO: Você gosta de cantar? O louvor é uma forma de adoração a Deus. Através da música, mostramos a nossa gratidão a Ele. Quero convidá-los a cantar nesse momento (uma música pequena e de melodia simples de gratidão) demostrando assim nossa gratidão a Deus por tudo o que Ele tem feito em sua vida.





quinta-feira, 2 de março de 2017

Adoração Infantil


Jesus chorou por um amigo

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em Mim, ainda que morra, viverá”. João 11:25

OBJETIVO: Entender que, através de Jesus, temos vida eterna.

RECURSOS UTILIZADOS: Cenário: criança enrolada com bandagens sai de um sepulcro da época.

INTRODUÇÃO: Amigos, como é bom tê-los conosco! Creio que cada um de vocês tem, pelo menos
um, e outros possuem vários. Mas, é comum termos um mais chegado; aquele que você fica mais
tempo junto, brinca mais... Sabem, queridos! Jesus tinha muitos amigos, mas havia um que era muito
especial para Ele. Apesar de não se verem com frequência, mas sempre que possível, Jesus ia à casa
dele. Acontece que, um dia, esse amigo de Jesus ficou muito doente e O chamaram para visitá-lo.

HISTÓRIA (João 11:1-44): Jesus tinha um amigo que morava em Betânia. Ele se chamava Lázaro.
Um dia, quando Jesus estava bem longe de Betânia, recebeu uma mensagem das irmãs de Lázaro,
comunicando que ele estava muito doente.
Apesar de Jesus ser muito amigo dessa família, permaneceu onde estava por mais uns dias. Os
discípulos ficaram admirados por Jesus não ir de imediato para Betânia. Porém, Ele apenas disse aos
discípulos que a doença de Lázaro não era para morte, e sim para a glória de Deus e que Lázaro estaria
dormindo. Os discípulos ficaram despreocupados, achando que Lázaro já havia melhorado. Mas, percebendo
isso, Jesus explicou a eles que tinha usado a palavra “dormir” referindo-Se à morte, e que
Lázaro havia morrido mesmo.
Finalmente, Jesus dirigiu-Se até Betânia. Mas durante a viagem, Ele não demostrou estar ansioso
ou com pressa. Já estavam chegando, quando Jesus soube que Lázaro tinha sido sepultado há quatro
dias. Assim que Marta soube que Jesus Se aproximava, foi até Seu encontro e Lhe disse: “Senhor, se
estivesses aqui, meu irmão não teria morrido! Mas, sei que não é tarde demais, pois tudo o que o
Senhor pedir, Deus fará.” Percebem como Marta conhecia Jesus? Então, Jesus disse a ela: “Eu Sou a
ressurreição e a vida. Quem crer em mim, ainda que morra, viverá.” Depois desse diálogo, Marta foi
avisar a Maria sua irmã que Jesus havia chegado. Quando se encontraram, ao vê-la chorar, Jesus Se
comoveu e chorou também. As pessoas ficaram admiradas, pois não era comum verem Jesus chorar.
Mas, Ele Se sentiu emocionado ao ver como a morte traz sofrimento. Jesus, foi até a sepultura de
Lázaro, e pediu que removessem a pedra, mesmo as pessoas reclamando (pois já fazia dias que ele
havia morrido e cheirava mal). Jesus olhou para os Céus e orou: “Pai, graças Te dou por Me ouvires. Tu
me ouves sempre... E tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, sai para fora!” E Lázaro apareceu,
lentamente, diante de todos.

APELO: Sabem crianças, é muito triste perder alguém. Naquele dia, lá em Betânia não foi diferente,
mas a família de Lázaro procurou a pessoa certa, Jesus. É a Ele que devemos buscar sempre, por que
Ele Se preocupa conosco; E somente Ele pode nos dar vida. Você quer hoje fazer um novo acordo de
amizade com Jesus?