sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Cartas que falam de amor

“Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser também participante dele.” I Coríntios 9:23

OBJETIVO: Esforçar-se para levar os outros a conhecer a Deus e a Sua Palavra.

RECURSOS UTILIZADOS: Envelopes, papéis de carta, selos, caixa de correio (gravura), computador(e-mail).

INTRODUÇÃO: Apresentar um coração de papel ou outro material e levantar o seguinte questionamento:
crianças, o que esse coração representa? Discutir de uma forma simples o que é amor. Você
ama seu pai, sua mãe, seus irmãos... sua família, seus brinquedos... mas o que é amor de verdade?
Como será que é o amor de Deus por nós? A Bíblia nos conta uma história linda sobre o amor de Jesus.
Você já recebeu uma cartinha? (mostrar os modelos de correspondências) Vocês sabiam que na
Bíblia (mostrar a Bíblia) tem muitas cartas? Elas foram escritas há muito tempo, mas continua com
mensagens especiais para nós hoje. Vamos conhecer algumas delas?

HISTÓRIA (Efésios 6:10-20; Romanos 8:31-39): Durante suas viagens e, mais tarde, quando
estava preso em Roma, Paulo sempre escrevia às igrejas que havia fundado, assim como a seus amigos.
Não havia correios, por isso as mensagens eram levadas por pessoas conhecidas que as entregavam
em mãos. Às vezes, demorava muito tempo para a mensagem chegar. Os destinatários ficavam muito
felizes e reliam tantas vezes que as podiam repetir de cor.
Aquelas pessoas tinham aceitado Jesus através de Paulo. Ele as amava muito e escrevia para elas,
dando-lhes muitos conselhos, para que permanecessem firmes na fé e não se deixassem enganar por
falsos mestres.
Aos romanos ele escreveu: “Quem nos separará do amor de Cristo? As provas, a angústia, a perseguição,
a fome, o perigo? Não, nisso seremos vencedores pelo amor de Jesus”.
Aos corintos escreveu sobre o caminho mais excelente: “mesmo que eu fale a língua dos homens
e dos anjos, mas se não for capaz de amar, não seria mais do que um instrumento que faz barulho”...
Aos cristãos de Éfeso: “Revistam-se da armadura de Deus, para que sejam capazes de ficar firmes...”.
E assim, Paulo instruía e animava seus irmãos na fé. Preocupava-se com eles e orientava-os a não
brigarem, pois deviam se manter unidos, comendo juntos, e dividindo entre eles as suas preocupações,
mas acima de tudo, a amarem ao Senhor.
Paulo insistia que a solução fosse os irmãos colocarem de lado os problemas e percorressem com
perseverança o caminho que estava diante deles, com os olhos em Jesus que, afinal, foi o maior herói,
pois suportou a dor e a vergonha da cruz, por amar à humanidade.

APELO: Queridos, nós também podemos hoje anunciar a Jesus. É um grande privilégio ser chamado
por Deus para o ministério. Desejamos que muitos de vocês aceitem o chamado para servi-Lo
como pastores.
(Fazer uma oração especial por aqueles que querem ser pastores e esposas de pastores)




sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Um coração cheio de amor

OBJETIVO: Ajudar os necessitados.

RECURSOS UTILIZADOS: Varal com vários tipos de roupas (para crianças e adultos), materiais de primeiros socorros (Dorcas doente).

INTRODUÇÃO: Alguém aqui já participou de campanhas para ajudar pessoas, com roupas, alimentos,
brinquedos?... É incrível como nos sentimos felizes, quando ajudamos às pessoas.

HISTÓRIA (Atos 9:36-42): Dorcas era uma senhora da igreja que estava em Jope. Era uma crente
muito dedicada que amava a Deus. Dorcas ajudava muito aos pobres de sua cidade. Ela sempre estava
disposta a suavizar a vida triste que eles levavam. Ela era muito boa costureira e havia dedicado esse
dom a Deus. Ela passava boa parte de seu tempo costurando para os pobres.
Essa atitude de Dorcas alegrava muito a Deus, e aos pobres. Aconteceu, porém, que um dia quando
Dorcas acordou não estava se sentindo bem. E foi adoecendo ainda mais, com o passar dos dias. Ela só
piorava e chegou a morrer.
Que faremos sem Dorcas?
Durante o velório, os cristãos receberam a notícia de que Pedro, discípulo de Jesus, estava ali
perto. Eles enviaram dois homens para buscá-lo. Quando eles o encontraram, explicaram tudo o que
acontecera e eles voltaram rapidamente.
Logo que Pedro chegou à casa de Dorcas, os pobres cercaram-no e chorando mostraram as roupas
que ganharam, e quanta falta ela estava fazendo.
Pedro pediu que todos saíssem e ajoelhou-se ao lado do corpo de Dorcas. Ele começou a orar para
que Deus a ressuscitasse. Quando terminou de orar, Pedro disse:
-“Dorcas, levanta-te!”.
Ela abriu os olhos e quando viu Pedro sentou-se na cama. Ele, ajudando-a, chamou a todos para
entrarem. Dorcas está viva! Todos gritaram alegremente.
Essa notícia se espalhou pela cidade e muitos creram em Jesus. Os pobres ficaram alegres porque
tinham sua amiga de volta. E durante os anos que Dorcas viveu a mais, ela continuou a ajudar aos pobres.

APELO: Hoje, querido amigo, olhe ao seu redor e pense no que você pode contribuir para que seu
mundo fique melhor. Ajude em sua casa, na escola, na sua rua; procure ser alguém bom e agradável
e que os outros sempre sintam falta de você... Quando temos o amor de Deus em nossos corações,
sabemos o quanto é importante compartilhar este amor com os outros.



quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Um menino, um sonho

“Ensine a criança no caminho em que deve andar, que mesmo quando for velho,
não se desviará dele.” Provérbios 22:6

OBJETIVO: Ser fiel a Deus em todo o tempo.
RECURSOS UTILIZADOS: Gravuras de uma família, bandeira da Escola Adventista, crianças vestidas
com uniforme da Escola Adventista.

INTRODUÇÃO: Perguntar sobre a escola onde estudam. Se há crianças que estudam na Escola
Adventista, e falar sobre isto, no dia de hoje.

HISTÓRIA: A família Souza estava muito preocupada com seu filho Serginho. Ele era uma criança
adorável, inteligente, falante e simpático. Todos os dias, ele tinha uma novidade para contar da sua
escola. Eram as brincadeiras, as atividades, os coleguinhas... seus pais estavam tranquilos em relação a
ele, pois se desenvolvia rapidamente.
Acontece que em um determinado dia, seus pais foram chamados na escola. É claro que pensaram
logo que ele tinha aprontado alguma coisa. A professora estava com uma expressão preocupada. E
assim que chegaram, ela foi logo dizendo:
- Dona Vera e seu Sérgio, eu estou muito preocupada com as reações de seu filho, diante dos programas
da escola. Tenho a impressão de que a nossa escola não está de acordo com o que vocês ensinam.
Os pais não entenderam. E pediram que ela explicasse melhor.
Veja bem, disse ela, seu filho não quer participar das atividades que propomos. Na Páscoa, por
exemplo, contei a história do coelhinho que leva ovos de chocolate para as crianças, e ele se levantou
e me disse: - Professora, coelhos não põe ovos, eu tenho seis coelhos e nunca nenhum deles fez isto.
Estamos ensaiando a quadrilha para a festa junina, e ele se recusa a participar. Quando o chamei,
ele disse: - Professora, eu não danço, pois sou Adventista.
Os pais voltaram arrasados para casa. E agora, o que fazer? Como dizer ao menino para participar
de eventos contrários à sua fé? E como mantê-lo afastado dessas coisas? Oraram ao Senhor, o
Deus que pode todas as coisas. E tomaram uma decisão que mudaria para sempre a história do seu
bairro. Abririam uma Escola Adventista para que seus filhos pudessem ter um ensino de qualidade e
de acordo com os princípios divinos. E foi assim, que surgiu a Escola Adventista de Inhaúma, no Rio
de Janeiro. Nasceu do sonho de Sérgio e Vera, que não mediram esforços nem recursos para que esta
escola chegasse ao que é hoje, com aproximadamente 700 alunos.
Deus tem planos maravilhosos para aqueles que são fiéis a Ele. Mais de trinta anos se passaram, e
aquele menininho tornou-se um pastor e sua esposa coordenadora Pedagógica da Escola que os pais
dele fundaram.

APELO: A educação que recebemos dos nossos pais é a base para toda a vida, mas a melhor parceira
para desenvolvê-la é a Escola Adventista. E você como tem representado a Jesus em sua escola?




quinta-feira, 28 de setembro de 2017

A lição de humildade

Tal como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate
por muitos.” Mateus 20:28

OBJETIVO: Ser humilde, servindo aos outros.

RECURSOS UTILIZADOS: Bacia, cântaro com água, toalhas.

INTRODUÇÃO: Na história de hoje, vamos ver como foi o último jantar de Jesus, ou seja, a última
Ceia de Jesus com Seus amigos.

HISTÓRIA (Lucas 22:1-17): Judas Iscariotes foi se encontrar com os principais dos sacerdotes,
oferecendo-se para lhes entregar Jesus. Eles prometeram dinheiro – 30 moedas de prata; preço de
um escravo. Judas concordou e, a partir daquele momento, o traidor começou a procurar o melhor
momento para vender o Mestre aos inimigos.
Enquanto isso, Jesus planejava a última refeição que teria com os discípulos, que eram também
Seus companheiros. Por isso, encarregou Pedro e João dos preparativos:
- Vão a Jerusalém. No caminho, encontrarão um homem carregando uma vasilha de água. Sigam-
-no e, na casa que ele entrar, digam ao dono: “O Mestre manda dizer que vai celebrar, em sua casa, a
Páscoa com os discípulos”.
Eles foram e aconteceu tudo como Jesus lhes tinha dito.
Era preciso pôr almofadas no chão, arranjar bacias e toalhas, pão sem fermento, suco de uva e cozinhar
o cordeiro pascal.
Na hora combinada, reuniram-se todos, inclusive Judas. Jesus estava preocupado, pois Seus companheiros
ainda não haviam compreendido Sua missão na Terra. Precisava fazê-los perceber que
tinham de ser humildes e abnegados ou nunca estariam no Seu reino.
Então, levantando-Se do Seu lugar, pegou uma bacia e uma toalha e começou a lavar os pés dos
Seus discípulos, um por um.
Eles deveriam ter tomado a iniciativa, já que não tinham criados, mas o orgulho os impediu.
Voltando ao Seu lugar, Jesus lhes disse com firmeza:
- Perceberam o que Eu fiz? Chamam-Me Senhor e Mestre e fazem bem porque Eu o sou. Se Eu lhes
lavei os pés, vocês também devem fazê-lo. Digo-lhes que o servo não é maior do que seu senhor, nem
o enviado maior do que o que o enviou.
Esta foi uma lição explicada na prática, mas bem difícil de ser seguida pelo ser humano.

APELO: Nos tempos de Jesus, quem lavava os pés dos visitantes, eram os escravos. Era uma função
muito humilde. É que para estarmos no reino dEle, precisamos servir. Servir aos outros. Você quer ser
um servo de Jesus?






sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Perdão que restaura



“Perdoem, e serão perdoados.” Lucas 6:37

OBJETIVO: Saber que Deus ajudará Seus filhos a perdoarem àqueles que os maltratam.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupas dos tempos bíblicos para vestir um menino, alimentos (cereais),
um abraço (braços de pelúcia) para simbolizar perdão.

INTRODUÇÃO: Quando alguém faz algo muito ruim, por exemplo: quebra um brinquedo que você
gosta muito, chuta sua perna de propósito durante o jogo, come seu lanche... é fácil perdoar? Você
fica com raiva? A gente fica zangado não é mesmo? Mas sabe, a Bíblia conta a história de um homem
que tinha muitos motivos para não perdoar, mas escolheu outro caminho.

HISTÓRIA (Gêneses 45:1-15; 47:1-12): José tinha vários motivos para odiar seus irmãos; e agora
poderia vingar-se, pois era o responsável por todo o mantimento disponível na Terra, e seus irmãos
precisavam desse alimento para sobreviver. Mas, ao invés de vingar-se, José, depois de testá-los para
saber se ainda eram maldosos, contou que era irmão deles. José, chorando muito, os abraçou e os
beijou. Seus irmãos, inicialmente, sentiram muito medo de que José se vingasse deles, mas, depois,
aliviados, puderam ver que ele só queria ajudá-los.
José, imediatamente, mandou que os irmãos fossem chamar seu pai e o restante dos parentes para
que ficassem junto dele, e não passassem necessidade, já que a fome sobre a Terra ainda demoraria
alguns anos.
O encontro de José com seu pai foi emocionante! Jacó pensava que José havia morrido, Mas
estava enganado, pois seu filho querido estava novamente em seus braços; não havia felicidade
maior que aquela.
José chegou a ser o governador e assim pôde ajudar a sua família, porque amava a Deus e Deus
estava com ele.
Jacó, seus filhos e todos os netos ficaram morando no Egito. Faraó, o rei, deu-lhes muitas terras
e ovelhas.
Passados vários anos, Jacó, quando já estava bem velho, chamou os seus filhos e os abençoou.
Viram como Deus cumpriu todas as promessas que fizera desde Abraão, Isaque e Jacó? E até nos
dias de hoje, Ele continua cumprindo Suas promessas.

APELO: José perdoou seus irmãos. Se você brigou com seus amiguinhos, deve pedir desculpas. Ou
se o seu amiguinho está zangado com você e lhe pedir desculpas, você deve perdoá-lo. Quando perdoamos,
somos mais felizes. Se você perdoou uma, duas, três, quatro, cinco vezes, ainda é pouco;
continue perdoando, porque Deus também perdoou todos os seus pecados, através de Jesus, o Filho
de Deus.



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A fé do comandante


“Porque saía dEle virtude e curava a todos...” Lucas 6:19

OBJETIVO: Saber que Jesus tem poder para curar, independente de o doente estar presente ou não;

RECURSOS UTILIZADOS: Chapéus de soldado de papel (um maior e de cor diferente para representar,
o oficial e outros menores para representar os soldados), um chapéu tipo turbante representando
o empregado, curativos para identificá-lo como doente.

INTRODUÇÃO: Observem esse personagem! (Mostrar o chapéu que representa o oficial) A Bíblia
conta que ele era muito importante, e comandava 100 homens. Será que ele era um comandante bravo?

HISTÓRIA (Lucas 7:1-10): Havia ali um oficial romano que tinha um empregado a quem estimava
muito. O empregado estava gravemente doente, quase morto. Quando o oficial ouviu falar de Jesus,
enviou alguns líderes judeus para pedirem a ele que viesse curar o seu empregado. Eles foram falar
com Jesus e lhe pediram com insistência:
_ Esse homem merece, de fato, a sua ajuda, pois estima muito o nosso povo e até construiu uma
sinagoga para nós.
Então, Jesus foi com eles. Porém, quando já estava perto da casa, o oficial romano mandou alguns
amigos dizerem a Jesus:
—Senhor, não Se incomode, pois eu não mereço que entre na minha casa. E acho também que
não mereço a honra de falar pessoalmente com o Senhor. Dê somente uma ordem, e o meu empregado
ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que
obedecem às minhas ordens. Digo para um: “Vá lá”, e ele vai. Digo para outro: “Venha cá”, e ele vem.
E digo também para o meu empregado: “Faça isto”, e ele faz.
Jesus ficou muito admirado quando ouviu isso. Então, Ele Se virou e disse para a multidão
que O seguia:
—Eu afirmo a vocês que nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel!
E os amigos do oficial voltaram para a casa dele e encontraram o empregado curado.

APELO: Você se preocupa com as necessidades das pessoas que estão ao seu redor? Este oficial
levou a necessidade de seu servo a Jesus e demonstrou uma fé surpreendente. O que Jesus espera é
que cuidemos uns dos outros.




sexta-feira, 8 de setembro de 2017

O homem que mudou de vida

“Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o Seu prazer.” Provérbios 1:1

OBJETIVO: Compreender que Deus vê o coração e está pronto a perdoar nossos pecados.

RECURSOS UTILIZADOS: Vaso com uma planta, tipo árvore, boneco ou gravura representando
Zaqueu e Jesus, pode-se usar também prendedores de roupa, sendo que o que representa Jesus deve
ser maior e mais vistoso.

INTRODUÇÃO: Apresentar um coração de papel ou outro material e levantar o seguinte questionamento:
crianças, o que esse coração representa? Discutir de uma forma simples o que é amor. Você
ama seu pai, sua mãe, seus irmãos... sua família, seus brinquedos... mas o que é amor de verdade?
Como será que é o amor de Deus por nós? A Bíblia nos conta uma história linda sobre o amor de Jesus.

HISTÓRIA (Lucas 19:1-10): Na cidade de Jericó, com suas palmeiras e jardins, regados por fontes
de águas cristalinas, morava Zaqueu, um cobrador de impostos. Muita gente não gostava dele, e dizia
que sua riqueza era fruto de roubo, ao cobrar das pessoas mais do que devia. E isso era verdade.
Certo dia, Zaqueu descobriu que Jesus passaria por Jericó, pois estava indo para Jerusalém. Ele
sabia que não era uma pessoa honesta e, quando pensava em Cristo, ficava triste pelas coisas erradas
que havia feito. Será que Jesus poderia perdoá-lo?
As ruas estavam cheias. Todos queriam ver o Mestre. Zaqueu era baixinho e não conseguia enxergar
por cima da cabeça dos mais altos. Então, ele teve uma ideia: Correu à frente do grupo, subiu em uma
árvore que ficava à beira do caminho e sentou-se num galho. Agora ele poderia ver o Mestre.
A multidão começou a se aproximar e parou bem perto da árvore onde Zaqueu estava. Jesus olhou
para cima e o viu ali. Cristo sabia que Zaqueu havia sido mau, mas queria ajudá-lo, mesmo assim.
- Zaqueu! – chamou Jesus - Desça depressa, porque hoje ficarei em sua casa.
Zaqueu não podia acreditar. Cristo o chamou pelo nome e disse que ficaria em sua casa! Então, ele
desceu rapidamente da árvore e preparou uma refeição saborosa para Jesus. Além disso, contou ao
Mestre tudo o que havia feito de errado, pediu perdão e prometeu devolver às pessoas o dinheiro que
lhes pertencia.

APELO: Jesus ficou muito contente por ajudar aquele homem a ser honesto. E, realmente, só
podemos ser felizes, se em nosso coração não houver nenhuma manchinha de maldade ou desonestidade.
Quem aceita hoje o perdão de Jesus?