sexta-feira, 20 de abril de 2018

A VITÓRIA DOS 300

MATERIAL CONCRETO: Um escudo e uma espada. Uma trombeta (pode fazer de papel, como se fosse
uma corneta). Um jarro de barro que possa quebrar e uma vela, se possível, mantê-la acesa. (*)

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Já imaginou ir para uma guerra sem escudo e sem espada? Estranho, não é? Numa guerra, os soldados precisam estar bem equipados com suas armas para poder se defender do inimigo.
Eu não gosto de guerras, acho muito triste que existam. Mas se um exército resolver me destruir, o que vou fazer?
Era um tempo muito difícil para o povo de Israel. Os midianitas eram maus e estavam lutando contra eles e pegando toda a sua comida. Os israelitas não tinham exército e assim, não podiam fazer nada. Estavam com medo; apavorados. Gideão era um que estava com muito medo; tanto que ele ia trabalhar de madrugada para que ninguém o visse. Mas, Deus tinha um plano para salvar Israel dos midianitas e queria contar com Gideão.
Então, enviou um anjo para dizer que ele deveria comandar um batalhão. Ele não acreditou muito que conseguiria, mas Deus disse que estaria com ele e que venceriam os midianitas.
Gideão convocou o povo para a guerra e muitos se uniram a ele. Quando os midianitas ficaram sabendo, oh, não! Eles chamaram outros exércitos, vindos de todo o Oriente; era gente que nem dava para contar, e agora?
Gideão deveria chamar mais gente? Não! Pelo contrário, Deus mandou que Gideão passasse por um rio com seu batalhão e mandasse que todos bebessem água. Aqueles que se abaixassem para beber calmamente deveriam ser dispensados e voltar para casa. Apenas ficariam aqueles que pegassem a água com mão, de forma apressada e bebessem a água.
Sabem quantos ficaram para a luta? Só 300 homens. Mas esperem! Deus ainda falou mais, deveriam deixar seus escudos e espadas e em lugar disso pegar uma tocha em um jarro de barro e uma trombeta.
Isso mesmo; um jarro com uma tocha dentro e uma trombeta. Gideão repartiu os homens em 3 grupos.
Mandou que quando ele tocasse a trombeta, todos também tocassem as suas trombetas; ninguém deveria sair do lugar, mas deveriam esperar e ver o que Deus faria.
Aquela noite foi incrível, crianças! Os midianitas e todos os outros exércitos caíram em um profundo sono; todos dormiam profundamente no acampamento. E o povo de Israel estava em posição, prontos para a ordem de Deus. Então, Gideão tocou a trombeta (som de trombeta), todos tocaram juntos, e quebraram o jarro com a tocha (quebrar o jarro). O povo acordou com medo, em desespero e começaram a atacar uns aos outros e o povo de Israel com Gideão ficou ali, parado, vendo Deus vencer aquela guerra. Que milagre estava acontecendo!
Ah, o nosso Deus não precisa de espada ou escudo, nem de canhão, ou míssil. Ele é o Deus Todo-poderoso e pode todas as coisas. Ele ama o Seu povo e os livra do mal. Aqueles que estão ao lado de Deus serão sempre vitoriosos.

APELO: Quem deseja ser vitorioso em Cristo?

ORAÇÃO: Querido Deus, agradecemos a Ti por Teu amor e porque cuidas de nós. Que estejamos ao teu lado para sermos sempre vitoriosos! Em nome de Jesus, Amém.




O DIA QUE O SOL PAROU

“[...]Sol, detêm-te em Gibeão, e tu, lua, no vale de Aijalom. E o sol se deteve, e a lua parou
até que o povo se vingou de seus inimigos[...]” (Josué 10: 12, 13).

MATERIAL CONCRETO: Um desenho da Terra. Um desenho do sol e outro da lua. Uma música de batalha e, se possível, alguém vestido de Josué.

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Vocês sabiam que a Terra está sempre se movimentando? Deixem-me explicar de formar bem fácil: Observem o sol (mostrar o sol), ele é importante para muitas coisas, e além de iluminar a Terra, seus raios solares nos dão a vitamina D, muito importante para nossa saúde. A lua também é importante para a vida na terra.
E aqui está a nossa Terra, lugar onde habitamos. Tudo no Universo está em movimento. Mas vejam, a Terra está sempre girando e, enquanto gira, recebe os raios solares que determinam o dia ou a noite. A Terra gira ao redor do seu próprio eixo, o que chamamos de movimento de rotação, que dura 24 horas, indicando noite e dia. E gira também ao redor do sol, o que chamamos de movimento de translação, que dura um ano inteiro para acontecer.
Mas porque eu estou falando disso? Bem, vocês sabem que o povo estava caminhando no deserto para chegar à Terra Prometida, a tão sonhada Canaã. Agora, eles já estavam pertinho desse lugar prometido. Seu novo líder era Josué; um homem que amava a Deus e seria o responsável por levar o povo até Canaã e todos confiavam nele, por ser corajoso, um homem de oração, e por ter visto todos os milagres que aconteceram na viagem, desde seu
começo: o mar se abrir, a água sair da rocha, o maná, subir com Moisés no monte e ver a glória de Deus.
Certo dia, ele ficou sabendo de cinco reis que vieram lutar e destruir seu povo. Josué reuniu todos os guerreiros de Israel e a grande batalha começou. Porém, havia muito mais pessoas para lutar contra Josué e os israelitas.
Mas eles não estavam com medo, pois sabiam que Deus estava à frente e lhes daria a vitória. E algo bem diferente
aconteceu naquele dia: A batalha já havia começado, os israelitas estavam fazendo de tudo para vencer a guerra, mas eram muitos guerreiros contra eles, e assim, levaria muito tempo para terminar aquela guerra.
Então, ao meio dia, Josué, o homem que confiava em Deus, olhou para o céu e disse: “Sol, detêm-te em Gibeão, e tu, lua, no Vale de Aijalom”. E o sol parou, e a lua também, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isso
mesmo, crianças! A Terra parou de girar, de fazer seu movimento de rotação. O sol continuou brilhando forte, até que eles venceram os seus inimigos. Já imaginou um dia sem noite? Aquele foi um dia sem noite, eles lutaram sem parar e Deus lhes deu a vitória.
Esse foi mais um dos grandes milagres que Deus realizou no meio do povo de Israel. Com ele aprendemos que não existe nada difícil para Deus. Ele é Deus e pode fazer qualquer coisa. Mas também aprendemos que quando oramos todos os dias, estudamos a Bíblia nos tornamos meninas e meninos fortes no Senhor, tudo o que pedimos que seja para honrar o nome de Deus e para a salvação de outras pessoas, Deus atenderá. Josué era um guerreiro poderoso, porque sua vida era de oração.

APELO: Vocês desejam ser um herói assim como Josué e ser uma criança de oração?

ORAÇÃO: Querido Deus, agradecemos por poder orar e saber que se for para o bem de outros, o Senhor sempre dirá SIM, aos nossos pedidos. Que todos aqui sejamos pessoas de fé e oração. Em nome de Jesus, Amém.


sexta-feira, 6 de abril de 2018

UM LUGAR PARA DEUS MORAR

“E me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles” (Êxodo 25:8).

MATERIAL CONCRETO: Leve um modelo de uma oca, iglu e, se possível, um modelo do tabernáculo que foi construído no deserto.

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Olá, crianças, bom dia! Deixem-me perguntar: para que serve uma casa? A casa é o local onde, geralmente, uma família mora. A casa é muito importante porque ela nos abriga do sol forte, dos ventos, da chuva, também pode nos proteger de animais ferozes e mesmo de pessoas más.
Pensem: quando vocês estão em sua casa, sentem-se seguros? A casa serve para nos dar segurança, certo? Ao redor do mundo existem diferentes tipos de casa: os índios, muitas vezes, moram em ocas, feitas de palha. Os esquimós, povo que vive em regiões muito geladas do planeta, moram em iglus, que são feitos de gelo. Existem diferentes tipos de casa: de madeira, de alvenaria (tijolo e cimento), casas flutuantes, casas aéreas, que podem
ser construídas nas copas das árvores. Enfim, diferentes tipos de casa e todas elas servem para abrigar pessoas e também para receber aqueles que amamos.
Já o povo de Israel vivia em tendas, que eram fabricadas a partir de peles de cabra ou de lã. A tenda era algo fácil de desmontar e carregar. Assim, o povo de Israel poderia montar sua tenda aonde quer que fosse. Vocês conseguem se imaginarem fazendo uma longa viagem e podendo carregar sua casa para qualquer lugar? Acho que seria legal poder sempre dormir na sua cama aonde quer que fossem, não é?
Um dia, Deus chamou Moisés, e pediu para que ele subisse em um monte bem alto, chamado Monte Sinai. Lá, enquanto eles conversavam, Deus disse: Moisés, todos vocês têm suas casas, seu lugar de descanso e Eu amo estar perto de vocês. Mas para que vocês saibam disso, Eu quero que vocês construam uma tenda para Mim. Vamos chamar de santuário
ou tabernáculo e Eu vou habitar no meio de vocês! Assim, vocês sempre terão a certeza de que Eu estarei sempre com vocês.
Que maravilha! Deus queria ter uma casa que ficasse no meio das tendas dos israelitas, para que assim que eles soubessem que o Senhor Deus sempre estaria com eles.
Sabem, Deus mostrou para Moisés uma planta, ou seja, um desenho de como deveria ser esse tabernáculo e sendo Moisés muito obediente, conseguiu fazer igualzinho ao que Deus havia mostrado. No dia da inauguração,
houve uma grande festa; um grande coral cantou, os mandamentos de Deus foram lidos e Deus mostrou Sua glória a todo o povo. Foi um dia muito lindo e especial! Ali, todos os dias seriam celebrados cultos para que as pessoas aprendessem do amor de Deus.
Eu gosto tanto dessa história, pois ela me faz entender que Deus quer morar com a gente. Ele quer sempre estar bem pertinho de cada um de nós, porque nos ama muito.
Deus nos ama mais que qualquer pessoa neste mundo. E sabem, eu também quero ficar bem pertinho de Deus todos os dias. E quero estar aqui na casa dEle, na igreja, e poder cantar muitos louvores a Ele por esse amor tão
grande. Assim como o povo de Israel ajudou a construir o Tabernáculo, hoje, parte de nossas ofertas são usadas para construir igrejas ao redor do mundo e ensinar que Deus deseja estar pertinho de nós.

APELO: Vocês desejam ficar bem pertinho de Deus e ajudar outras crianças e suas famílias a terem um lugar de adoração?

ORAÇÃO: Querido Deus, sou agradecido porque o Senhor deseja morar comigo e em mim. Obrigado, por me amar tanto assim. Por favor, fica comigo, que a minha casa seja a Tua casa! Em nome de Jesus, Amém!




segunda-feira, 2 de abril de 2018

O TESTEMUNHO DE UMA ESCRAVA

“[...]Tomara o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o
restauraria da sua lepra” (II Reis 5:3).

MATERIAL CONCRETO: Um passarinho numa gaiola. Um tecido marrom, um homem vestido de Naamã com o corpo cheio de círculos vermelhos de papel.

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Olá, crianças! Quantos de vocês gostam de passarinho? Eu amo esses animaizinhos! Gosto muito do canto desses animais e de pensar como eles sendo tão pequenos são tão inteligentes, a ponto de construir seus ninhos, saber se guiar fazendo longas viagens, indo de um país para outro,
para fugir do inverno e depois voltar, sem se perder. Eles também sabem onde buscar alimento e as mães ensinam seus filhotinhos a voar. Deus é bondoso em nos presentear com esses bichinhos. Mas quando olho para esse aqui numa gaiola, fico triste, sabem por quê? Porque Deus os fez para viver livremente. Eles não foram
criados para a gaiola, e assim não vivem como deveriam.
Vocês gostariam de viver em uma gaiola? De jeito nenhum, não é mesmo? Olhando esse passarinho na gaiola, eu me lembro de uma história bíblica, que fala de uma garotinha que vivia bem longe de seus pais e tinha que trabalhar sem parar. Ela não podia sair para brincar lá fora, nem passear. Ela também não ouvia seus pais contarem histórias para ela dormir, porque eles estavam bem longe. Que triste, não é?
Sabem crianças, apesar de ter sido levada para outro país, longe de seus pais e ter que trabalhar quando deveria
brincar e estudar, ela era uma garotinha que amava a Deus e procurava viver feliz. A Bíblia diz que o senhor dela, o comandante Naamã, ficou muito doente, com uma doença parecida com a lepra; nenhum médico conseguiu curá-lo e ele e sua esposa estavam muito tristes. Vendo toda aquela tristeza, a pequena teve uma ideia:
dizer que ele procurasse o profeta de Deus em Samaria; ele poderia orar a Deus para curar Naamã. E foi exatamente isso que a menina fez. Acredito que Naamã era um bom homem e ouviu sua serva. Ele acreditou na sua serva e decidiu fazer uma viagem muito longa para conhecer o profeta Eliseu.
Quando chegou a Samaria, procurou onde estava o profeta que já sabia que Naamã estava chegando, mas, vocês acreditam que, ao invés de ir conversar com o comandante, o profeta mandou seu servo dizer que ele mergulhasse 7 vezes no Rio Jordão?!?! Hum! Naamã, não gostou nada dessa recepção e resolveu ir embora. Mas um de seus soldados o convenceu a fazer o que o profeta Eliseu mandou fazer. E lá foi ele até o rio (aparece
Naamã com o corpo manchado – use círculos vermelhos de papel – e um tecido marrom para ser o rio. Ele deve mergulhar no rio. Então, duas pessoas deverão segurar o tecido e Naamã ficar atrás).
O rio era lamacento, suas águas não eram clarinhas, mas era ali que deveria mergulhar. Deu o primeiro mergulho e sua pele continuava igual. O segundo mergulho e nenhuma sensação de mudança. O terceiro mergulho
e, nada! Mergulhou a quarta e a quinta vez; olhou para sua pele, mas continuava igual. Não pode ser!! No sexto mergulho era tudo igual. Bem, eram 7 mergulhos e ele obedeceu. No sétimo mergulho (quando abaixar,
alguém deve ajudá-lo a tirar os círculos do corpo) e quando subiu, uau!!! Ele estava com a pele lisinha, sem nenhuma mancha. Naamã disse: O Deus de Eliseu é poderoso, o mais poderoso de todos! Eu serei seu servo e agora só adorarei a Deus. Minha pequena serva tinha razão. Obrigado, meu Deus! Naamã voltou para sua casa feliz pelo milagre que aconteceu e amou a Deus por tudo o que Ele fez em sua vida.

APELO: Podemos ser como aquela pequena serva e falar do amor de Deus para todos que precisam.

ORAÇÃO: Querido Deus, que sejamos fiéis e falemos sempre do Teu amor, em nome de Jesus, Amém.




sexta-feira, 23 de março de 2018

O PÃO DE DEUS

“Então, disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover do céu pão, e o povo sairá
e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu ponha à prova se
anda na minha lei ou não ” (Êxodo 16: 4).

MATERIAL CONCRETO: um pão. Um lençol grande. Pipoca. Um vidro com pipoca que pareça estragada
(use algo que deixe a pipoca do frasco com um aspecto feio).

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: As pessoas fazem pão desde a época de Abraão. O pão sempre foi apreciado pelas pessoas. No início, há alguns milhares de anos, os pães não eram como os nossos, eles eram achatados e bem escuros. Foram os egípcios que começaram a assar o pão em fornos; antes eram assados em brasas; foram também os egípcios que inventaram o fermento. Daí, foi mudando o formato do pão. Muitos tentaram ficar famosos mudando a receita do pão. Mas foram os franceses que ficaram conhecidos por uma receita saborosa e bonita, que é o famoso “pão francês”.
Agora, se no tempo dos israelitas era necessário forno ou brasas para assar os pães, certamente não era uma atividade
fácil, não é mesmo? Eles estavam viajando para a grande Canaã e não podiam perder tempo preparando
o alimento. Não devia ser fácil ter que cozinhar no deserto. Mas, como o nosso Deus é bondoso e sempre quer
nos dar o melhor, Ele fez algo incrível: Um dia, quando os israelitas acordaram, eles viram que por toda a terra
haviam umas sementinhas espalhadas, e muitos correram para colher. A notícia se espalhou e logo todos já estavam colhendo (ir colocando as pipocas sobre o lençol e pedir para as crianças colherem).
Moisés já sabia que aquele era o pão do céu. O povo estava feliz, pois Deus havia provido alimento para eles. O pão ficou conhecido como “maná”, e havia uma forma correta para colher o maná: Todos os dias, Deus enviaria o maná, assim, todos os dias, o povo deveria sair e colher a quantidade exata para aquele dia; nada de colher a mais, pois tudo que você colhesse para o dia seguinte iria estragar. Alguns israelitas foram desobedientes e colheram a mais. Sabem o que aconteceu? Vejam, estragou (mostrar o pote).
Eu não sei por que alguns ainda insistem em não acreditar nas palavras de Deus; elas nunca falham. Moisés
orientou o povo e explicou que poderiam preparar o maná como quisessem, mas que não deixassem o alimento de um dia para o outro; esse era um sinal de obediência a Deus.
Porém, havia um dia em que eles poderiam colher em dobro. Sabe que dia era esse? Isso mesmo: a sexta-feira.
Nesse dia, os israelitas colheriam mais maná, que seria o dobro; eles podiam guardar em potes e não estragaria.
Esse seria o milagre diário na vida daquele povo. Todos os dias, Deus mandava pão do céu para alimentar Seus
filhos, e na sexta-feira enviaria o dobro para que no sábado, o dia do Senhor, eles não precisassem colher.
Queridas crianças, Deus é um Deus de milagres, e Ele quer operar um milagre diário em nossa vida. Ele sabe que precisamos do alimento e assim nos dá todos os dias aquilo que precisamos. Mas, o mais importante na
vida não é o alimento ou a nossa roupa. Sabiam disso? A Bíblia diz que nem só de pão viverá o  homem, mas detoda a palavra que sai da boca do Senhor, o mais importante, o maior milagre que precisamos é Deus em nossa vida a cada dia. Somente assim, seremos felizes e alegres.

APELO: Quantos querem dizer comigo para Deus que O buscarão a cada dia?

ORAÇÃO: Querido Deus, que estas crianças aprendam a buscar a Tua presença a cada novo dia! Que sejam Teus pequenos servos e que aprendam que o mais importante é ter o Senhor habitando em nosso coração. Em nome de Jesus, Amém!



quinta-feira, 22 de março de 2018

ÁGUA DA ROCHA

“Eis que estarei ali diante de ti sobre a rocha em Horebe; ferirás a rocha,
e dela sairá água[...]” (Êxodo 17: 6).

MATERIAL CONCRETO: Um copo com água. Uma pedra. Cajado.

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Ah, como é bom tomar água quando estamos com sede (beber a água)!
A água é sempre bem-vinda em dias ensolarados. Eu amo a água! Já pensaram em quantas coisas podemos fazer com a água? Ela serve no preparo de nossas refeições. Usamos na lavagem de roupas, na limpeza da casa. Nas férias de verão, podemos brincar na piscina, em rios e até no mar.
A água também faz muito bem para a nossa saúde. Vocês sabiam que quando bebemos água na quantidade certa, o nosso corpo fica mais forte e é mais difícil ficar doente? Isso mesmo, a água é uma bênção de Deus; por isso precisamos beber água todos os dias.
Falando nisso, lembrei-me de uma história que está na Bíblia: Sabemos que o povo de Israel estava no deserto, caminhando para chegar à Terra Prometida - Canaã. Eles haviam presenciado grandes milagres, como a abertura do Mar Vermelho, a coluna de fogo e de nuvem, o maná. Mas agora, caminhavam e estavam bem cansados da viagem. Deus pediu para que parassem e armassem suas tendas num lugar chamado Refidim.
Enquanto armavam as tendas, perceberam que não havia água onde eles estavam e ao invés de orar a Deus,
começaram a reclamar. Eles se ajuntaram para reclamar; procuraram Moisés e falavam como loucos, como se até ali Deus não os estivesse guiando. Gritavam, dizendo: Moisés, você nos trouxe aqui para morrer? Estamos com sede; Moisés, o que você vai fazer? Bem, Moisés, realmente ficou preocupado, não com a falta de água, pois ele confiava em Deus, mas com a irritação do povo. Então, ele fez o que devia ser feito: orou ao Senhor.
Deus ordenou a Moisés que reunisse alguns anciãos do povo e os levassem consigo. Pegou o seu cajado e se aproximou de uma grande rocha, então, depois de orar ao Senhor, ele feriu a rocha com seu cajado e, imediatamente,
começou a transbordar água daquela rocha. O povo ficou espantando, e Moisés mandou que eles
viessem e bebessem a água.
Não dá para entender porque o povo estava espantado com a água que saía da rocha, pois eles estavam presenciando um milagre diário: o maná que caía do céu. O mar já havia se aberto para eles passarem. Diariamente,
também recebiam a proteção de Deus ali naquele deserto e ainda assim duvidavam do que Deus poderia fazer?
Crianças, às vezes, somos mal-agradecidos e ingratos como o povo de Israel. Eles tinham tudo o que precisavam e ainda assim reclamavam. E mais, aquilo que eles não tinham, como a água, bastava que orassem e Deus a
enviaria. Não precisavam reclamar e nem maltratar Moisés.
Essa história nos ensina grandes lições. Uma muito importante é que reclamar não é coisa que um filho de
Deus deva fazer. Quando vocês estiverem com problemas, basta orar, pedir para Deus resolver a situação e Ele ouvirá suas orações. Precisamos ser como Jesus que era sempre bondoso e sempre tinha palavras boas.

APELO: Quantos desejam ser bondosos e não reclamarem das coisas que acontecem?

ORAÇÃO: Querido Deus, essa história me ensina que o Senhor é um Deus de milagres e que ouve as nossas orações. Ajuda-me a entender isso e ter uma vida de bondade e alegria. Em nome de Jesus, Amém!



sexta-feira, 9 de março de 2018

NUVEM E FOGO

“O Senhor ia adiante deles, durante o dia, em uma coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho;
durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar” (Êxodo 13:21).


MATERIAL CONCRETO: Gelo. Imagem de um deserto. Levar um grande tecido que fique por cima das crianças. De um lado deve ser vermelho ou laranja e do outro azul.

HISTÓRIA CONTEXTUALIZADA: Quem gosta do calor, levante a mão! Quem gosta do frio, levante a mão! Acho que a maioria gosta mesmo é do calor, certo?! Em dias bem quentes, dá para tomar banho de piscina,
de mangueira, até de bacia, para refrescar. Eu sei que as crianças amam brincar com água e aproveitam muitos dias ensolarados.
Crianças há lugares que são muito frios; até congelam como esse bloco de gelo aqui (deixe algumas crianças tocarem), em outros, faz muito calor que pode até queimar e existem os desertos que são muito quentes durante
o dia e muito frios durante a noite. Isso mesmo! O deserto é uma região quase desabitada e sem água da chuva ou de rios. Nos desertos têm animais, apesar de muitos imaginarem que não, pois não são encontrados durante
o dia por causa do calor que faz. Por exemplo, as temperaturas durante o dia podem chegar a 50° C, mas também pode congelar à noite.
Imaginem-se fazendo uma viagem no deserto!!! Deve ser muito difícil. Mas, esperem um pouco; não foi o povo de Israel que fez uma longa viagem pelo deserto? Sim, eles ficaram 40 anos caminhando dia e noite no Deserto
do Saara, o maior deserto do mundo. Ele é tão grande que chega quase a ser do tamanho do Brasil. Coitadinhos!
Devem ter sofrido muito com o calor de dia e o frio à noite, não é?! Não! De jeito nenhum! Deus cuida sempre de Seus filhos onde quer que estejam. Vejam o que a Bíblia diz: “O Senhor ia adiante deles, durante o dia, em uma coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar”.
O nosso Deus é muito cuidadoso conosco, e Ele jamais deixaria o povo de Israel sofrer com o calor ou frio.
Por isso, o povo, enquanto caminhava durante o dia, naquele calorzão (colocar o tecido sobre as crianças do lado azul para baixo) tinha sobre as suas cabeças uma grande nuvem que fazia sombra, e deixava o clima bem
mais fresquinho. E, à noite, enquanto eles dormiam ou se estivessem caminhando, tinham uma coluna de fogo(colocar o tecido sobre a cabeça das crianças do lado vermelho) para os aquecer, proteger do frio e dos insetos que picam e fazem mal à nossa saúde.
Deus pensa em tudo, e se Ele pode enviar uma coluna de fogo para proteger do frio e uma coluna de nuvem para proteger do calor, os israelitas que andaram tanto tempo no deserto, o que Ele pode fazer por nós hoje? A resposta é: TUDO! Deus pode fazer coisas incríveis para abençoar aqueles que O amam.

APELO: Que tal agradecermos a Deus por Sua proteção?

ORAÇÃO: Querido Deus, somos muito gratos a Ti por essa linda história que fala do Teu cuidado e proteção. Agradecemos por cuidar sempre de nós, enviando os Teus anjos. Nós Te amamos, ó Senhor! Em nome
de Jesus, Amém.