sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Aninha e os presentes

“... palavras do próprio Jesus: mais bem aventurado é dar que receber.” Atos 20: 35, up

OBJETIVO: Servir os outros com atos de bondade.

RECURSOS UTILIZADOS: Caixa de presente grande e bem bonita, com gravuras, de acordo com
a sequência da história (mulher grávida, garrafa de bebida, bebê, família feliz, menina alegre, pessoa
adulta com uniforme da Marinha, igreja, Jesus).

INTRODUÇÃO: Sinos tocando, músicas natalinas, casas e lojas enfeitadas... Todos já sabem, o Natal
está chegando... o que as pessoas esperam? Presentes! Que presentes gostaríamos de ganhar? Ou
melhor, que presentes precisamos ganhar?

HISTÓRIA: Eram tempos difíceis aqueles e Deise esperava seu quinto bebê e não sabia o que faria com
ele. Com um marido bêbado, sem trabalho certo, às vezes tratava bem, às vezes tratava mal a sua família.
E agora, mais um filho para sustentar!... Então, ela conversou com sua cunhada, Arlete, sobre a condição
dela ficar com o bebê, já que era uma pessoa com condições de dar amor e cuidado à criança que estava
chegando. Arlete concordou, mas tinha uma condição: ela não mais seria filha de Deise, pois a partir do
nascimento, a criança seria filha de Arlete. E foi assim, que a Ana Paula entrou para a família Freitas.
Sempre muito ativa e levada, arrancava sorrisos por onde passava. Foi crescendo em “sabedoria e graça”,
pois sua mãe a ensinou nos caminhos do Senhor. Desde bem pequena, Aninha, como era chamada, sabia
quem eram seus pais biológicos, quem eram seus irmãos biológicos e quem eram os pais e as irmãs do coração.
Na sua nova família, Aninha tinha duas irmãs mais velhas, que a enchiam de muito carinho. Não
lhe faltava nada: casa confortável, boa escola, passeios, viagens, brinquedos... E nas datas especiais,
como: aniversário, Dia da Criança, Natal..., ela ganhava muitos presentes.
Então, em um Natal, Aninha se sentiu muito incomodada. Ela com tantas coisas caras e bonitas, e
seus irmãos biológicos com tão pouco para viver. Então, ela teve uma ideia: organizou uma campanha
de brinquedos com sua família, a família do coração, que ela tanto amava e falou com os primos, tios,
amiguinhos, e conseguiu arrecadar muitos brinquedos. E na semana do Natal, pediu à sua mãe que a
levasse até onde moravam seus irmãos para que ela pudesse entregar-lhes os presentes.
Ah! Que sentimento maravilhoso teve Aninha! Que alegria! Como era tão bom ajudar os outros!
Esses gestos de carinho sempre existiam na vida de Aninha. E, um dia, Deus a recompensou por
todos esses atos de bondade.
Ela cresceu, tornou-se uma linda moça, tocava piano, formou-se na faculdade, trabalhou na
Marinha, casou-se, teve três filhos, e enquanto viveu, Aninha serviu ao Senhor e aos outros. Deixou
uma frase que marcou a sua vida e a dos outros: “ATOS DE BONDADE, TRANSFORMAM VIDAS”.
Sim, amiguinhos, Jesus um dia veio a esta terra e Seus atos de bondade encheram toda a terra e
trouxeram salvação a todos nós. Ele veio e morreu por amor a vocês e a mim. Logo, muito em breve, o
nosso Salvador virá para buscar os Seus filhos e vai dar grandiosos presentes a cada criança e a todos
que forem fiéis a Deus.

APELO: Nesta semana, comemoramos o Natal. Uma data que gostamos de ganhar presentes, mas que tal,
fazermos diferente? Assim como Aninha, vamos escolher alguém para dar um presente. Mas, além desse presente,
você deve falar do presente maior, oferecido a todos nós: a alegria de ter Jesus no coração e de ter garantida
a nossa salvação. Quantos querem escolher alguém para falar do amor de Jesus e de Sua salvação aos outros?




sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Um homem de coragem e fé

“Se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que
se fizeram novas”. II Cor. 5:17

OBJETIVO: Compreender que sem Jesus no coração, somos cegos neste mundo; não vemos
nossos erros.

RECURSOS UTILIZADOS: Objetos que são diferentes (matéria prima e derivados), por exemplo:
uva e suco de uva; livro e uma foto de árvore; açúcar e cana; espiga de milho e farinha; lanterna com
luz forte, lenço para vendar os olhos de uma criança.

INTRODUÇÃO: De onde vocês acham que veio este produto? Quando a matéria prima for identificada,
esta deve ser colocada junto do seu produto de origem. Quando todos os pares estiverem
formados, perguntar: essas coisas se transformaram sozinhas ou foram transformados por alguém? A
história bíblica de hoje é sobre uma pessoa que foi transformada.

HISTÓRIA (Atos 9:1-19): Saulo de Tarso era considerado, com razão, o maior inimigo dos cristãos.
Depois de persegui-los ferozmente em Jerusalém, dirigiu-se com os seus homens para Damasco, cheio
de planos ameaçadores.
O grupo já estava perto da cidade, quando uma luz mais forte que a do Sol brilhou forte e diretamente
sobre eles e todos caíram ao chão. Saulo que não conseguia se levantar, logo ouviu uma voz
que dizia:
- Saulo, Saulo, porque Me persegues?
- Quem é o Senhor? Perguntou Saulo.
- Sou Jesus, Aquele a quem tu persegues! Levanta-te, vai para a cidade e espera instruções Minhas.
Saulo tentou se levantar, mas teve que pedir ajuda, pois estava cego.
Então, ele se hospedou na casa de um homem chamado Judas. E Saulo estava tão abalado com o
que havia acontecido que não comeu por três dias.
Morava ali perto, um discípulo chamado Ananias, a quem o Senhor pediu que fosse à casa de Judas
e procurasse Saulo de Tarso. Ananias ficou muito assustado, porque sabia quem era Saulo. Mas o
Senhor insistiu para ele ir até lá e disse a respeito dele:
- “... Saulo é Meu instrumento escolhido para levar Minha mensagem às nações e até a presença de
reis, bem como ao povo de Israel”.
Quando Ananias encontrou Saulo, pôs as mãos sobre ele e lhe disse:
_ Irmão Saulo, o Senhor me enviou para que você fique cheio do Espírito Santo e torne a ver. Os
olhos de Saulo se abriram imediatamente e a primeira pessoa que ele viu foi o discípulo de Jesus que
o batizou e o tornou membro da igreja cristã.
Saulo, agora chamado Paulo, tornou-se o maior dos defensores de Jesus.

APELO: Deus, através do Seu Filho Jesus, que resgatou Paulo e o perdoou de todos os seus pecados,
mudou seu coração e o seu nome, para que ele fosse um grande pregador da Palavra de Deus. Hoje,
Ele quer fazer o mesmo com cada um de vocês. Quem deseja ter os olhos abertos para ver melhor a
luz e o caminho do Senhor?




sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

O discípulo e o oficial da rainha

“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação
de todo aquele que crê”. Romanos 1:16

OBJETIVO: Ensinar às crianças que devemos estar sempre prontos para obedecer à voz do Senhor,
quando Ele diz que devemos anunciar a Sua Palavra a todas as pessoas, em todos os lugares e a qualquer
hora.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupas dos tempos bíblicos, carruagem em papelão (colocar a criança
atrás), pergaminhos ou Bíblia.

INTRODUÇÃO: Você gosta de viajar? O que faria se tivesse que ir a um lugar desconhecido, mas
que Deus ordenasse que você precisava ir? Houve um homem que simplesmente obedeceu e foi.

HISTÓRIA (Atos 8:26-39): Filipe era um dos apóstolos da igreja primitiva, que, por causa das perseguições
aos cristãos, resolveu fugir para Samaria. Ali, ele realizou milagres e pregou as boas-novas
acerca de Jesus. Como resultado, muitas pessoas creram.
Um dia, um anjo do Senhor disse a Filipe: “Vai até a estrada que sai de Jerusalém e que atravessa o
deserto de Gaza na direção do Sul”.
Filipe encontrou a carruagem onde viajava um etíope, acompanhado de um eunuco que era oficial
da rainha da Etiópia, conhecida como Candace. Ele tinha ido a Jerusalém adorar no templo e agora
estava voltando. Na viagem, o etíope lia em voz alta o que estava escrito no livro do profeta Isaías.
Filipe, aproximando-se, e perguntou:
- Você compreende o que lê?
O etíope respondeu:
- Como posso compreender se não há quem me ensine? E convidou Filipe a entrar na carruagem.
O texto bíblico que o oficial lia, e que não compreendia, dizia que: “O tinham levado ao matadouro
como um cordeiro”.
Filipe começou logo a explicar o assunto àquele homem, e identificou o cordeiro como sendo
Jesus, aproveitando essa oportunidade para lhe apresentar muitas outras profecias que falavam dEle.
Também respondeu a muitas perguntas que o oficial foi fazendo, ao longo do caminho.
A certa altura, quando chegaram a um local em que havia água, o oficial perguntou:
- Já temos a água! Por que não posso ser batizado?
- Se você crê de todo o coração!... Respondeu Filipe.
Então, Filipe batizou o etíope, que continuou sua viagem alegremente.

APELO: Queridos, Jesus salva todos que O recebem como nosso Senhor e Salvador.
Filipe se tornou uma grande testemunha e falou sobre o amor de Jesus a muitas pessoas. E você
também pode ser uma grande testemunha, falando de Jesus a seus amigos e vizinhos, e do amor
maravilhoso de Jesus e sobre a salvação. Quer ser como Filipe?



sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

A manifestação do Espírito Santo

“E os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo”. Atos 13:52

OBJETIVO: Ensinar às crianças que os que aceitam a Jesus também recebem o Espírito Santo.

RECURSOS UTILIZADOS: Carinhas dos discípulos em pratinhos de bolo, pano amarelo ou papel
de seda (labaredas), lenço (demonstrar tristeza, saudade), jarra transparente com água (ir colocando
água até transbordar para demonstrar o Espírito Santo que transborda...).

INTRODUÇÃO: Você já se despediu de um amigo? Já mudou de cidade ou de escola. É muito triste,
não é? Fica a saudade, e a gente fica se lembrando das conversas, das brincadeiras, das risadas... fica
uma dorzinha no coração!... Sabem, os discípulos estavam bem tristes, pois o Amigo deles, Jesus,
havia ido para o céu, e agora eles se sentiam sozinhos. Mas, Jesus continuava amando a todos, por
isso mandou um consolo especial para eles.

HISTÓRIA (Atos 2:1-41): Jesus já estava no Céu, à direita do Pai, onde jamais Se esquece de Seus
seguidores na Terra. Os discípulos não puderam deixar de sentir falta do Mestre que os tinha acompanhado
durante mais de três anos.
Num determinado lugar, em Jerusalém, estavam cerca de 120 pessoas. Entre elas, estavam os doze
discípulos que tinham acabado de testemunhar a cena da ascensão de Jesus, no Monte das Oliveiras.
E eles se lembravam de que Jesus lhes pedira que ficassem em Jerusalém, até serem “revestidos do
poder” do alto. Não entendiam bem que poder era esse, mas esperavam-No ansiosos.
Decidiram se aproximar mais de Deus e uns dos outros. Então, após sete semanas da crucifixão, no
dia de Pentecostes, aconteceu uma coisa espetacular.
De repente, um vento fortíssimo invadiu a casa em que eles estavam. Depois, sobre cada um deles,
apareceu uma espécie de chama, iluminando toda a casa. Era o derramamento do Espírito Santo que
criou neles um desejo de falar de Jesus às pessoas. Foi isso que aquele grupo começou a fazer. E para
a surpresa de todos, os estrangeiros os ouviam em sua própria língua materna.
Quando as pessoas duvidaram do que estava acontecendo, Pedro explicou que o profeta Joel
havia predito, “nos últimos dias, disse Deus, derramarei o Meu Espírito Santo sobre a humanidade.
Os vossos filhos e filhas profetizarão, os jovens terão visões e os velhos terão sonhos. Farei aparecer
estranhos sinais nos céus e na Terra. E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”
E Pedro falou ainda de Jesus e do modo maravilhoso como Ele tinha cumprido as profecias feitas
no passado.
Pedro agora era um homem cheio do Espírito de Deus, destemido e corajoso. Ele pediu que as
pessoas se arrependessem de seus pecados, e o resultado, foi que naquele dia, três mil pessoas entregaram
seu coração a Jesus e foram batizadas. E assim nasceu a primeira igreja cristã.

APELO: Jesus tem um amor tão grande por Seus filhos, que mesmo quando subiu ao Céu, Ele não os
deixou desamparados e logo enviou o Consolador, o Espírito Santo para dar poder àqueles discípulos.
No tempo de hoje, não é diferente, pois nós também temos o Consolador. Vamos pedir a Jesus que Ele derrame o Espírito Santo em nós até transbordar?



sexta-feira, 24 de novembro de 2017

O rapaz aventureiro

“Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o Céu
e diante de ti” Lucas 15:18

OBJETIVO: Compreender que Deus é bom, que nunca deixará de nos amar e está sempre pronto a
perdoar.

RECURSOS UTILIZADOS: Bolsa de viagem ou mochila com peças de roupas, itens que levamos
quando vamos viajar, bilhete de passagem.

INTRODUÇÃO: Pergunte: Quem pode me dizer o que levamos na bolsa ou mochila, quando vamos
viajar? (espere respostas). Muito bem! (Mostre às crianças o que trouxe na sua mochila).

HISTÓRIA (Lucas 15:11-32): Jesus contou a história de um homem rico que tinha dois filhos. Um
dia, o mais moço disse ao pai que queria sua parte da herança para viajar.
O pai ficou muito triste porque não queria que o filho fosse embora, mas repartiu os bens entre
os dois.
O filho mais novo pegou seu dinheiro e foi para um lugar bem longe. Ele desperdiçou tudo o que
tinha ganhado do pai. Quando já havia gastado tudo, começou a passar fome. E o único trabalho que
conseguiu foi o de cuidar dos porcos. Ele sentia tanta fome que tinha vontade de comer a comida que
os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada!
Então, o rapaz lembrou que os empregados de seu pai tinham bastante comida e que poderia
voltar para a casa e pedir ao seu pai que o aceitasse como um de seus empregados, pois não merecia
mais ser filho dele.
Quando ele ainda estava a caminho, perto de casa, o pai o viu de longe, e veio correndo, dando-lhe
um grande abraço!
O moço pediu perdão e disse que havia pecado contra Deus e contra ele.
O pai ficou tão feliz que mandou seus empregados prepararem uma grande festa para comemorar
a volta do filho.

APELO: Aquele filho precisou perder tudo o que tinha para reconhecer o quanto seu pai era bom e
o amava. Justamente como aquele pai amava seu filho e o perdoou, Deus está sempre pronto a nos
perdoar. Você aceita o perdão do Pai?











sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O bom samaritano

“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como Eu vos amei a vós, que
também vós uns aos outros vos ameis.” João 13:34

OBJETIVO: Devemos amar a todos da mesma maneira.

RECURSOS UTILIZADOS: Maletinha de primeiros socorros, ataduras, cavalinho (brinquedo), uma maca.

INTRODUÇÃO: Os judeus queriam que Jesus dissesse a eles com deveria ser um “bom crente”.

HISTÓRIA (Lucas 10:25-37): Um dia um homem, que era professor da Lei, perguntou a Jesus:
- Qual é a lei mais importante?
Jesus respondeu: Você já sabe!
-Sim, respondeu o professor! “Devemos amar a Deus de todo coração e ao nosso próximo como a
nós mesmos”. Mas… quem é o meu próximo? –Perguntou o professor.
Então, Jesus contou a seguinte história:
Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e, no caminho, foi agredido por bandidos. Bateram
tanto nele, que ficou quase morto na estrada.
Um sacerdote e um levita, que eram religiosos, considerados piedosos, passaram por ele, mas nem
lhe deram atenção.
Mais tarde, passou um samaritano que, ao vê-lo, teve profunda compaixão do pobre homem.
Então, fez curativos nele e o colocou em seu jumento, levando-o para uma hospedaria, onde cuidaram
dele. No outro dia, pagou ao dono da hospedaria para que continuasse cuidando daquele homem
ferido, até que ele voltasse.
Então, Jesus perguntou ao professor da Lei:
- Em sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem assaltado?
- Aquele que o socorreu! -respondeu o professor da Lei.

APELO: É isso que Jesus espera que façamos pelas pessoas. Cuidar das suas “feridas”, até que Ele
volte. Assim como o bom samaritano cuidou do ferido dessa história, Deus quer cuidar de você, para
que você também cuide de outras pessoas. Quem quer aceitar esse convite?