sexta-feira, 26 de maio de 2017

Uma pesca diferente

“Disse-lhes Jesus: vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens.” Mateus 4:19

OBJETIVO: Aceitar o convite de Jesus de buscar pessoas para Seu reino.

RECURSOS UTILIZADOS: Rede de pesca, peixes de algum material, gravuras de pessoas ou
bonecos.

INTRODUÇÃO: Vocês já pescaram alguma vez? Foi fácil? E pescar pessoas? Que coisa estranha! A
história de hoje fala de uma pesca que começou com peixes e terminou com pesca de homens.

HISTÓRIA (João 21:1-19): Quando terminou a Festa da Páscoa, as pessoas voltaram para suas
casas. Mas o assunto das suas conversas eram os últimos acontecimentos relativos a Jesus: a marcha
para o Calvário, as trevas que cobriam a cruz, o túmulo vazio e todo o mistério que aquelas cenas
envolviam.
Os discípulos, também estavam retomando à vida deles. Relembravam os momentos maravilhosos
que haviam passado ao lado de Jesus. Então, Pedro sugeriu que fossem pescar.
Lançaram as redes, como costumavam, mas não pescaram nada. Tentaram durante toda a noite.
Ao amanhecer, avistaram um Homem em pé na praia, que lhes perguntou:
- Amigos, apanharam algum peixe?
Diante da resposta negativa, o Homem, que eles não tinham conseguido reconhecer, sugeriu:
- Lancem a rede do lado direito do barco. Eles questionaram dizendo que haviam tentado a noite
toda, mas sem resultados. Mas, mesmo assim o fizeram.
O resultado foi tão extraordinário, que eles mal conseguiam puxar a rede, de tão pesada, por causa
da quantidade de peixe recolhido. Então, olhando para a praia, João disse: - É o Senhor!
Pedro não resistiu. Saltou para a água e nadou rapidamente até a praia. Os outros arrastaram os
barcos e as redes cheias de peixes.
Quando chegaram à praia, havia uma fogueira. E viram que Jesus lhes havia preparado uma
refeição. E Ele lhes fez o convite: - Venham comer!
Depois, Ele lhes serviu peixe e pão. Esta foi a terceira vez que Jesus apareceu aos discípulos, depois
de ter ressuscitado.
Jesus sabia que em breve voltaria para o Céu e deixaria Seu precioso rebanho. E estava ali para
fazer um convite aos discípulos, especialmente a Pedro.
Ele precisava que Pedro prometesse cuidar do “rebanho”. E Pedro assumiu esse compromisso
diante do Senhor.
Antes de se despedir de Pedro, Jesus lhe deu a entender o que significava verdadeiramente “amálo”.
É que ele também seria crucificado como seu Mestre.
E foi naquela ocasião que Pedro deixou definitivamente de ser pescador de peixes para se dedicar
totalmente à função de cuidar das pessoas e “pescar” homens e mulheres para o reino de Deus.

APELO: Queridos, vocês também podem ser pescadores de homens e mulheres; não precisa de uma
rede, de uma vara de pesca; precisa apenas se comprometer com Jesus e falar para outros a respeito
do Seu amor por nós. Querem vocês fazer parte deste grupo de pescadores?





quinta-feira, 18 de maio de 2017

Um bom menino rei

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e mesmo quando for velho, não
se desviará dele.” Provérbios, 22:6

OBJETIVO: Honrar a Deus o tempo todo.

RECURSOS UTILIZADOS: Personagem rei menino, pergaminho, Bíblia, bambu fino ou uma varinha dentro de um cano de PVC (no cano escrever “Lei de Deus”, ele representa a proteção).

INTRODUÇÃO: O povo de Deus havia se afastado mais uma vez de Deus. E cabia a seu líder trazê-
-los novamente para perto de Deus.

HISTÓRIA (2 Reis capítulos 22 e 23): Josias foi rei quando tinha apenas oito anos de idade. A
Bíblia diz que ele sempre fazia o que era correto aos olhos do Senhor. Quando ainda muito jovem, ele
obrigou que tirassem de toda a Judéia e de Jerusalém os altares e outros objetos que representavam
outros deuses, outra crença que não fosse a verdadeira. Também era necessário fazer reformas no
templo. Josias pediu dinheiro ao povo, que contribuiu voluntariamente. Compraram madeira e pedra,
mas algo muito interessante aconteceu durante a reforma do templo. O sumo sacerdote estava guardando
o dinheiro dentro da arca, e ao esvaziá-la, encontrou um pergaminho, onde estava escrita a Lei
do Senhor, dada a Moisés, e que há muito tempo, estava desaparecida.
Quando Josias ouviu o que estava escrito ali, ficou muito perturbado ao perceber até que ponto o
comportamento do povo estava longe do que Deus desejava. A Lei de Deus devia ser transmitida de
boca em boca, pois não havia Bíblia. Por mais que os profetas tentassem, o povo não obedecia às leis
divinas.
Então, Josias se humilhou e orou diante de Deus, arrependido por não fazerem a Sua vontade.
Deus aceitou a oração de Josias.
Josias convocou todo o povo, leu para eles o que estava escrito, prometeu publicamente obedecer
aos mandamentos e pediu para que o povo também o fizesse.
A Bíblia diz que nunca houve, antes ou depois, um rei como Josias, que fosse tão fiel ao Senhor,
com todo o coração, alma e força! Ele reinou por trinta e um anos.

APELO: Por que acertar parece tão difícil? Amigos, esse cano aqui (mostrar o cano) representa a Lei
de Deus, e nós estamos aqui dentro, sem ela somos muitos frágeis, fáceis de quebrar. Quem quer ser
protegido pela Lei de Deus?






sexta-feira, 12 de maio de 2017

Uma visita ilustre

A rainha de Sabá soube da fama que Salomão tinha alcançado, graças ao nome do Senhor, e foi a
Jerusalém para pô-lo à prova com perguntas difíceis”. 1 Reis 10:1

OBJETIVO: Compreender a importância de testemunhar de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Objetos que representem riqueza, mapa mostrando a distância entre o
Sul da Arábia e Jerusalém.

INTRODUÇÃO: Após a morte de Davi, seu filho Salomão ocupou o trono. Ele era um rei muito sábio
e generoso. Despertando assim a curiosidade de outros reis.

HISTÓRIA (1 Reis 10:1-13): A fama da riqueza e sabedoria de Salomão se espalhou, despertando
muita curiosidade. Por isso, era frequente ele receber visitas de reis de outras terras. Propunham-lhe
negócios e levavam presentes muito valiosos, que contribuíram para que ele se tornasse ainda mais
rico, o mais rico e mais sábio de todos os reis da Terra. Para você ter uma ideia da sua riqueza, ele possuía
1.400 carros e 12 mil cavalos. Seu trono era de marfim, revestido de ouro fino.
Certa ocasião, entre os visitantes famosos, Salomão recebeu a visita da rainha de Sabá, que viajou
do Sul da Arábia até Jerusalém, com grande comitiva de camelos carregados de riquezas. Ao ver a
sabedoria e a riqueza de Salomão, o palácio, os alimentos que eram servidos, os aposentos dos seus
servos, os uniformes dos seus oficiais, ela exclamou com admiração: “o que me contaram do seu país
não corresponde sequer metade do que estou vendo aqui. Seu povo é feliz, os trabalhadores satisfeitos.
Bendito o Senhor, seu Deus, que o escolheu e o colocou no trono. Ele deve amar muito esse
povo, pois escolheu um rei justo e bom.” Ela deu a Salomão mais de quatro toneladas de ouro, muitos
perfumes e pedras preciosas.
Em troca, o rei deu-lhe tudo o que ela pediu, assim como alguns presentes pessoais.
E ela regressou ao seu país com a lembrança de um rei abençoado pelo Deus do céu.

APELO: Todos os dias, nós mostramos às pessoas quem somos. Na escola, em casa, no shopping, no
parquinho... será que estamos representando bem o nosso Deus? Salomão deu um bom testemunho
sobre a benção do Senhor na vida dele. Quem deseja contar aos outros sobres as bênçãos do Senhor
na sua vida?






quinta-feira, 4 de maio de 2017

Um rei humilde

“Agora, pois, ó Senhor Deus, Tu mesmo és Deus, e as Tuas palavras são verdade, e tens
prometido a Teu servo este bem.” 2 Samuel 7:28

OBJETIVO: Reconhecer a soberania de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Coroa de rei, roupas dos tempos bíblicos, em cabide (representando o
profeta Natã).

INTRODUÇÃO: Alguma vez, um de vocês pediu algo aos seus pais, como: um presente, um passeio...
e no dia combinado, recebeu algo muito melhor? Aconteceu isso com um poderoso rei.

HISTÓRIA (2 Samuel 7:1-29): Davi foi viver num lindo palácio, na cidade de Jerusalém. Aparentemente,
tinha tudo para se sentir feliz, mas havia algo que o preocupava muito.
Certo dia, ele falou ao profeta Natã que não se sentia bem vivendo num palácio, enquanto a arca
do concerto (que representava a presença de Deus) permanecia em uma tenda.
Ele desejava construir um templo que fosse melhor que seu palácio; um lugar em que Deus pudesse
ser adorado com dignidade.
Então, através de Natã, Deus enviou uma mensagem muito importante para o rei Davi. A mensagem
era a seguinte: “não será você quem construirá um templo para que Eu habite nele. Tirei você
das pastagens, dos rebanhos, para fazer de você o chefe do Meu povo, Israel. Dei a você uma vida
tranquila, livrando-o dos seus inimigos. Quando sua vida chegar ao fim, colocarei um dos seus filhos
como rei. Ele é quem construirá Meu templo.”
Quando ouviu essa mensagem, Davi ficou muito emocionado, entrou no tabernáculo, inclinou-se
humildemente e fez esta lindíssima oração de agradecimento:
“Ó Senhor Deus, quem sou eu e quem é minha família para que tenhas feito chagar até aqui?
Fizeste promessas sobre o futuro da dinastia do Teu servo. E que mais poderia eu dizer, Senhor, se Tu
conheces tão bem este Teu servo? Tu, Senhor és o Deus verdadeiro. As Tuas palavras são verdadeiras
e, por isso, fizeste ao Teu servo essa promessa que o torna tão feliz. Digna-Te, pois, abençoar a minha
dinastia para que esteja sempre debaixo da Tua proteção.”

APELO: Que exemplo de humildade nós encontramos no rei Davi! Ele poderia ter ficado chateado
com o Senhor, mas reconheceu a soberania dEle, e seu coração se encheu de alegria e gratidão a Deus
pela bênção recebida. Quer você hoje ser humilde também e reconhecer que o nosso Deus sabe o
que é melhor para sua vida?



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Ao doar, adoro a Deus

“Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à
prova”, diz o Senhor dos Exércitos, “e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre
vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las”. Malaquias 3:10

OBJETIVO: Entender que ofertar também é adoração.

RECURSOS UTILIZADOS: Moedas, dinheiro, gravura do Templo e de uma igreja atual, objetos de valor.

INTRODUÇÃO: Crianças, quando vocês gostam de um brinquedo na loja, como vocês fazem para
tê-lo? Vão à loja e pegam o que querem? Claro que não. É preciso ter dinheiro para comprar. Tudo o
que temos: roupas, livros, brinquedos, alimentos... é preciso pagar por essas coisas. A casa de Deus, o
lugar de adoração, também precisa de recursos para se manter. A Bíblia nos conta uma história muito
bonita, que demonstra que ofertar faz parte da adoração a Deus.

HISTÓRIA (Êxodo 35:20-29): Moisés desceu do monte depois de ter passado mais 40 dias lá. Ele
trazia novas tábuas com os Dez Mandamentos escritos, pois as primeiras foram quebradas.
Dessa vez, o povo estava muito diferente e preparava-se para construir o santuário. Antes, porém,
Moisés pediu que trouxessem ao Senhor uma oferta voluntária em ouro, prata, bronze, joias, linho
fino, peles, madeira de acácia, azeite e outros materiais.
Moisés sabia que eles possuíam tudo isso, porque haviam trazido muitas riquezas dos egípcios.
Disse-lhes que deveriam trazer esses objetos de forma espontânea.
Todos se dirigiram a suas tendas e, ao voltarem, fizeram longas filas. A Bíblia diz que vieram homens
e mulheres, todos os que colocaram no coração esse propósito, e trouxeram ofertas de ouro, pedras
preciosas, joias, tecidos finos, peles de animais tingidas, prata, bronze e madeira de acácia suficiente
para a construção. E assim conseguiu tudo o que era necessário para o tabernáculo, segundo as instruções
de Deus.
Depois, Moisés anunciou quem iria dirigir a obra. Esse homem era chamado de Bezalel e era neto
de Hur, da tribo de Judá.
Diz a Bíblia que o Espírito de Deus o encheu de habilidade, inteligência e conhecimento. Ele se
tornou um ótimo artesão e desenhista, e também ensinou outros a trabalhar em peças de ouro, prata,
bronze, madeira e pedra.
Aquelas pessoas tinham muito a agradecer a Deus, pois haviam sido libertas da escravidão, guiadas
pelo Senhor em toda a viagem e agora tinham a oportunidade de participar da adoração ao Senhor
com seus bens.

APELO: Queridas crianças, a adoração a Deus consiste em um conjunto de ações: ler a Bíblia, orar,
cantar, participar dos cultos... e também de doar parte do que o Senhor nos tem dado. Mesmo assim,
ainda é muito pouco, diante de tantas bênçãos recebidas a cada momento. Quer você hoje ser um
doador também?




quinta-feira, 20 de abril de 2017

O código do Amor

“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma, o testemunho do Senhor é fiel, e
dá sabedoria aos simples.” Salmos 19:7

OBJETIVO: Compreender que a Lei de Deus reflete o caráter dEle.

RECURSOS UTILIZADOS: Espelho, papel grande (tipo cartão) com escrita ou gravuras, representando os Dez Mandamentos, cartões de regras (trânsito, limite peso, limite de altura...)

INTRODUÇÃO: O que vocês acham que são regras? A impressão que temos é que as regras são
ruins; não pode isso, não pode aquilo... mas você já parou para pensar que as regras podem salvar
nossas vidas? O que vocês acham, por exemplo, que aconteceria se não tivéssemos sinais de trânsito?
Deus Se preocupa tanto conosco que nos deixou algumas regras para que possamos viver melhor.

HISTÓRIA (Êxodo 20:1-17): Os israelitas chegaram à região do Sinai três meses depois daquela
noite em que saíram do Egito. O povo havia aprendido muitas coisas diferentes das que o Senhor lhes
ensinara. Agora, estavam indo para a direção oposta do seu destino. Mas Deus estava agindo assim
porque amava aquele povo e queria salvá-lo.
Deus estava preparando aquele povo com o objetivo de dar a conhecer o mundo, o plano da salvação
e revelar o Seu grande amor por eles.
Mas, para falarem aos outros sobre Deus, eles próprios tinham que saber distinguir entre o bem e
o mal, e escolher sempre o certo.
Então, Deus arquitetou um plano para passar o conhecimento de Sua vontade ao povo. Pediu a
Moisés que preparasse o povo, que se purificasse, e “Ao terceiro dia, o Senhor descerá sobre o Sinai,
diante de todo o povo”.
Foi muito grande a agitação no acampamento. Quando amanheceu o terceiro dia, o Sinai estava
envolto em uma nuvem ardente; tremia e fumegava como se houvesse um vulcão ali.
De repente, por entre o fogo e a fumaça, ouviu-se uma voz admirável, profunda e melodiosa – a
voz de Deus – que disse: “Eu sou o Senhor, teu Deus, que te fez sair do Egito, da terra da escravidão”.
Depois Deus lhes apresentou os Dez Mandamentos:
I. Não terás outros deuses diante de Mim.
II. Não farás para ti imagem de escultura.
III. Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.
IV. Lembra-te do dia de sábado para o santificar.
V. Honra teu pai e tua mãe.
VI. Não matarás.
VII. Não adulterarás.
VIII. Não furtarás.
IX. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
X. Não cobiçarás a casa do teu próximo.
Foi por nos amar que o Senhor deixou a Sua Lei como um espelho para nos guiar no caminho certo.

APELO: Queridos, para obedecermos é preciso amar ao Senhor. Quando O amarmos mais do que
qualquer outra coisa, faremos a vontade dEle. Quer você hoje amá-Lo?



sexta-feira, 14 de abril de 2017

O Cordeiro

https://www.youtube.com/channel/UCa0Nja57-8BPQn3C2e-qhhw

O Resgate

“Porque o Senhor passará para ferir os egípcios; quando vir, porém, o sangue na verga da
porta... passará o Senhor aquela porta, e não permitirá ao destruidor que entre em
vossas casas, para os ferir” Êxodo 12:23

OBJETIVO: Entender que vale a pena ficar ao lado de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Pão (tipo árabe), ervas amargas, tinta vermelha, uma porta de madeira
ou papel imitando madeira.

INTRODUÇÃO: O povo de Deus já era escravo há muito tempo no Egito, e Deus queria libertá-lo.

HISTÓRIA (Gêneses 12:1-36): Deus chamou Moisés para a missão de libertar o povo da escravidão,
mas o Faraó não os libertava. O Senhor enviou pragas ao Egito, mas o rei não mudava de ideia. (Poderá
recordar as pragas)
Então Deus mandou Moisés anunciar a 10ª praga a Faraó. Moisés disse a Faraó que Deus enviaria
um anjo para ferir os primogênitos dos egípcios. O filho mais velho de cada família seria morto, inclusive
dos animais.
Porém, antes que Deus enviasse a última praga ao Egito, ordenou a Seu povo que fizesse uma série de
coisas: comer carne assada de cordeiro e pão, calçar sandálias, ficar com o cajado nas mãos (era o bastão
que os pastores usavam para conduzir as ovelhas), todos deviam estar prontos para viajar. Mas, porque
será que Deus estava pedindo essas coisas? Porque Deus os tiraria do Egito, o mais rápido possível.
Também, Deus mandou que as famílias de Israel colocassem o sangue de um cordeiro nos portais
das casas (lado de cima da porta), para que seus primogênitos não fossem mortos. Esse era o sinal
para marcar as casas dos israelitas. Por isto, o povo não poderia desobedecer a esta ordem, e se o
fizesse, seus filhos morreriam.
A essa preparação para o povo sair do Egito, Deus chamou de Páscoa. E quando os israelitas
entrassem na Terra Prometida, eles deveriam fazer uma festa para comemorar aquele dia, que seria a
primeira Páscoa.
A Páscoa é para lembrar que Jesus morreu e derramou Seu sangue para nos salvar do pecado, e
que depois de três dias, Jesus ressuscitou.
Depois que os israelitas fizeram tudo o que Deus mandou, Ele enviou a última praga: a morte dos
primogênitos. O Senhor feriu todos os primogênitos do Egito. Os filhos dos israelitas não morreram
por causa do sangue do cordeiro que havia na porta da casa deles. Só depois da morte dos primeiros
filhos de cada família, inclusive do filho de Faraó, que ele resolveu libertar o povo de Israel.

APELO: O sangue de um cordeiro, passado nas portas das casas, livrava da morte o filho mais velho
da família. Na festa da Páscoa, nós lembramos a morte de Jesus, que também derramou o Seu sangue
para nos libertar do pecado, e também que Ele ressuscitou para nos dar uma nova vida. Você aceita
Jesus como seu Salvador?




sexta-feira, 7 de abril de 2017

Respeitar a vontade do Pai



“Serviremos ao Senhor nosso Deus e lhe obedeceremos”. Josué 24:24

OBJETIVO: Respeitar a vontade de Deus como soberana.

RECURSOS UTILIZADOS: Pedaço de capa, espada, escudos, vendas (para representar escuridão).

INTRODUÇÃO: Quem gosta de brincar de esconde-esconde? É divertido, não é mesmo? Mas dá
um friozinho na barriga, quando estamos escondidos com medo de ser descobertos! Imaginem vocês
estarem em uma caverna escura, escondidos, e o seu adversário entra na mesma caverna? Nossa!
Assustador! A história de hoje nos conta de um episódio na vida de dois homens que estavam na
mesma caverna. Mas, um não gostava do outro.

HISTÓRIA (1 Samuel 24-1-22): Saul estava determinado a encontrar Davi. Apesar dele não ter
feito nada para prejudicar o rei Saul. E foi informado a ele que Davi estava no deserto de En-Gedi.
Então, Saul convocou três mil homens, dos melhores soldados de Israel e partiu no encalço de Davi e
seus homens. Foram para a região dos rochedos dos Bodes Selvagens. Ele chegou até o local que havia
alguns currais de ovelhas, ao lado da estrada. Perto dali havia uma gruta, e Saul entrou nela. Acontece
que Davi e seus homens também estavam amontoados no fundo dessa gruta. Os homens de Davi lhe
disseram:
- Você acredita nisso? O Senhor deve estar dizendo: “Entregarei o seu inimigo em suas mãos. Faça
com ele o que bem entender”. Davi, silenciosamente, cortou um pedaço da vestimenta de Saul. Mas,
no mesmo instante, sentiu-se culpado e disse a seus homens:
-Que o Senhor me livre de fazer algum mal ao meu senhor. Não vou levantar um dedo contra ele.
Ele é o ungido de Deus!
Assim, Davi impediu que seus homens acabassem com a vida de Saul. O rei levantou-se e saiu da
caverna para seguir seu caminho.
Então, Davi se pôs à entrada da gruta e gritou para Saul:
- Meu senhor! Meu rei!

APELO: Crianças, vocês acham que é fácil obedecer? Aos pais, professores, avós... Às vezes, é complicado!
Mas, Deus é tão maravilhoso, que nos dá hoje a oportunidade de fazer a vontade dEle. Quer
você hoje dizer: Senhor Jesus, eu quero hoje ser obediente a Ti?



quinta-feira, 30 de março de 2017

A mulher que confiou no Senhor

“... Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros, crede nos seus profetas,
e prosperareis”. 2 Crônicas 20:20

OBJETIVO: Compreender que, mesmo em tempos difíceis, o Senhor não desampara Seus filhos.

RECURSOS UTILIZADOS: Farinha de trigo, bacia, biscoito (um pacote com apenas um).

INTRODUÇÃO: O que você faria, se tivesse apenas um biscoito no pacote, ou um lanche pequeno e
alguém que você não conhece pedisse porque também estava com fome?

HISTÓRIA (1 Reis 17: 8-24): Elias era um amigo de Deus. E, como Deus havia dito que não choveria,
secou até o riacho onde Elias buscava água. Elias deveria ir até uma cidade chamada Sarepta,
porque lá uma mulher lhe daria comida.
Ele foi para esse lugar, e na entrada da cidade, encontrou uma viúva apanhando lenha. Então, ele
perguntou:
- Por favor, poderia me trazer uma jarra de água? Estou com sede.
Quando ela fez menção de buscar água, ele disse:
– E também, por favor, traga alguma coisa para eu comer. E ela respondeu:
- Assim como vive o Senhor, seu Deus, juro que não tenho nada para comer. Tenho uma vasilha de
farinha e um pouco de azeite numa botija. Estou pegando gravetos porque vou preparar alguma coisa
para meu filho e eu comermos. Depois disse só nos resta morrer. E Elias disse a ela:
- Não se preocupe, faça o que eu disse: Prepare um bolinho e traga-o para mim. Depois, prepare
uma refeição com o que sobrar pra você e seu filho. O Deus de Israel diz: “Nem a vasilha nem a botija
ficarão vazias, até que o Senhor mande chuva sobre a terra, e ponha fim a essa seca”.
Ela saiu e fez exatamente o que Elias tinha pedido. E aconteceu como ele falou. Todos os dias, havia
comida para ela e pra seu filho. A promessa do Senhor se cumpriu.
Tempo depois, o filho da viúva adoeceu. A doença se agravou, e, em certo momento, ele parou
de respirar.
A mulher disse a Elias:
- Por que, ó homem de Deus, o senhor veio até aqui interferir na minha vida, expor o meu pecado
e matar meu filho? Elias disse:
-Traga seu filho para mim.
Ele tomou o menino em seus braços, levou-o para o seu quarto, pôs o menino na sua cama e orou:
- Ó Senhor, meu Deus, porque trouxeste essa desgraça sobre essa viúva, que me acolheu em sua
casa? Por que tiraste a vida do filho dela? – E deitou-se três vezes sobre o corpo do menino orando –
Ó Senhor, meu Deus, devolve o fôlego desse menino!
O Senhor ouviu a oração de Elias, e o menino ressuscitou. Elias pegou o menino, levou-o para baixo
e entregou-o a sua mãe dizendo:
-Aqui está seu filho. Está vivo! A mulher respondeu:
- Agora estou entendendo. O senhor é um homem de Deus. Quando fala é Deus que está falando!

APELO: Linda história, não é? Bondade gera bênção. E a bênção do Senhor é completa. Você quer
fazer um acordo com o Senhor hoje? Que ser bondoso e compartilhar o que você tem com os outros?




sexta-feira, 24 de março de 2017

Bondade recompensada

“Quem é generoso será abençoado, pois reparte o seu pão com o pobre.” Provérbios 22:9

OBJETIVO: Compreender que devemos ser hospitaleiros.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupas dos tempos bíblicos, carinhas de mulher no palito (feliz e triste),
tapetinho de oração.

INTRODUÇÃO: Quem gosta de receber visitas? É muito bom ter amigos, parentes nos visitando...
Geralmente a comida é especial, a casa é toda arrumada, tem sobremesa diferente; o melhor que
temos, nós oferecemos às nossas visitas. Havia uma mulher em Suném que também gostava de
receber visitas.

HISTÓRIA (2 Reis 4: 8-37): Toda vez que o profeta Eliseu ia à Palestina, ele passava por um lugar
chamado Suném. Ali vivia um casal rico e muitas vezes o profeta parava na casa deles para descansar
e comer.
Certo dia, a esposa falou com o marido que tinha certeza que aquele homem que os visitava era
um profeta do Senhor. E que deveriam fazer um quarto para ele para que tivesse um lugar adequado
para descansar de suas viagens. E assim fizeram.
O profeta ficou muito grato a eles e queria recompensá-los, de alguma forma. Então, seu servo
disse a ele que eles não tinham filhos e que o marido já era idoso. Então, o profeta disse àquela
mulher que dentro de um ano ela seria mãe. Apesar de ela ter ficado receosa, o Senhor cumpriu a
promessa. E ela teve um lindo bebê. Era a alegria da casa; o centro das atenções.
Mas, quando o menino já estava crescido, ficou muito doente, sentia muita dor de cabeça. E sua
mãe fez tudo o que podia para salvá-lo, mas ele morreu. Ela então o colocou no quarto do profeta e
pediu para prepararem uma jumenta para ir ao encontro do profeta. Não disse nada a seu esposo para
não preocupá-lo. Eliseu regressou com ela, subiu ao quarto e viu o menino morto em cima da sua
cama. Fechou a porta, orou muito ao Senhor. Aqueceu o menino, e este espirrou sete vezes e abriu os
olhos. Um milagre acabara de acontecer!
Aquela mãe ficou muito feliz. Caiu ajoelhada, expressando gratidão ao profeta e, acima de tudo,
a Deus.

APELO: Depois desta história tão linda sobre hospitalidade e milagre, podemos concluir que quando
somos hospitaleiros, podemos estar hospedando anjos (como diz uma música). E você, amiguinho,
quer ter essa atitude de hospitalidade?




quinta-feira, 16 de março de 2017

O relógio que atrasou

“Os vivos, somente os vivos, esses te louvam como hoje eu o faço...”. Isaías 38:19

OBJETIVO: Fazer com que as crianças entendam que o cuidado de Deus por nós ultrapassa os
limites da Natureza.

RECURSOS UTILIZADOS: Diversos tipos de relógios, providenciar a gravura de um relógio de sol, maletinha com curativos e materiais para tratar ferimentos.

INTRODUÇÃO: O que vocês fariam, se estivessem passando por um momento bem complicado?
Estar doente, ter ficado longe do seu melhor amigo, mudar de escola... Um rei passou por um problema
bem difícil, e sabem o que ele fez? Foi falar com Deus... aconteceu o seguinte...

HISTÓRIA (2 Reis 20: 1-11): O rei Ezequias estava muito doente. O profeta Isaías informou que a
doença dele era mortal, que ele não viveria muito tempo. Ele não aceitou. Mas não procurou médicos,
foi ao maior Médico de todos, que é Deus. Em prantos, ele suplicou a Deus que poupasse sua vida,
considerando que ele Lhe tinha sido sempre fiel.
Deus ouviu a oração de Ezequias, e mandou novamente o profeta Isaías ao palácio com a seguinte
informação: “Daqui a três dias você voltará ao normal. Acrescentarei mais 15 anos à sua vida”. Ezequias
perguntou se poderia ter um sinal de que seria curado mesmo.
Como resposta, Isaías apontou para o relógio de sol existente no jardim e explicou que, como sinal,
Deus iria fazer com que a sombra ali refletida, adiantasse 10 graus. Ou você prefere que a sombra
atrase? Perguntou. Ezequias respondeu que era fácil a sombra adiantar, preferia que atrasasse.
Enquanto Isaías orava, da janela do palácio, o rei viu a sombra mover-se, um grau...dois...três...cinco...
dez. Incrível, não é? Ninguém sabe como foi possível isso acontecer, mas foi percebido até nos relógios
de sol da Babilônia, a centenas de quilômetros de distância. Provavelmente, o mundo inteiro
sentiu essa diferença no sol. Muitas pessoas questionaram sobre o que estava acontecendo. Elas não
imaginavam que o Senhor que fez o Céu e a Terra poderia parar o relógio do tempo.
Passados três dias, Ezequias já estava trabalhando novamente no palácio. E foi nessa ocasião que
ele fez essa oração: “Estive em grande amargura, mas o Senhor lançou para trás os meus pecados,
porque morto não poderia louvá-Lo como faço hoje.”

APELO: Queridos, todos os dias nós precisamos de milagres. E eles acontecem repetidamente, mas
sabem de uma coisa: muitas vezes, nossos olhos estão fechados e não conseguimos enxergar. Quem
de vocês quer pedir hoje para que o nosso Deus abra nossos olhos para vermos os milagres que Ele
tem feito em sua vida?




sexta-feira, 10 de março de 2017

O coral da vitória

“Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és Tu o Deus que está nos Céus? Tu governas
sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em Tuas mãos, e
ninguém pode opor-se a Ti”. 2 Crônicas 20:6

OBJETIVO: Explicar às crianças que o louvor faz parte da adoração a Deus, e é uma forma de demostrar nossa gratidão.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupa de rei, coroa, escudo, gravuras de mãos em posição de oração,
música de agradecimento.

INTRODUÇÃO: Alguém aqui já cantou em um coral? É lindo um coral, vozes diferentes que se
harmonizam, louvando a Deus. Nossa história hoje vai contar sobre a apresentação de um coral um
pouco diferente.

HISTÓRIA (2 Crôn. 20:1-18): Josafá foi amigo de Deus e um rei muito honesto. Enquanto rei, ele destruiu os ídolos, derrubou os altares pagãos e incentivou o povo a seguir os caminhos do verdadeiro Senhor.
Certo dia, chegou a ele uma notícia que o deixou muito preocupado: Os exércitos de Amom e Moabe
iriam atacar o povo de Judá. Então, ele foi falar imediatamente com Deus, implorando orientação e
auxílio. Porém, pediu ao povo que jejuasse e que todos fossem ao templo (igreja) para orar.
Logo, uma multidão se concentrou no pátio, e o próprio rei Josafá orou assim: “Senhor, Tu és o
Deus do Céu e governas todos os povos. Ó Deus, Tu expulsaste os habitantes desta terra, quando
aqui chegou o Teu povo. Tu deste esse lugar a eles. Entregaste esta terra para os descendentes do Teu
amigo Abraão. Aqui, construímos o Teu templo, e Tu prometeste que sempre que houvesse calamidade,
guerra, doença ou fome, deveríamos vir aqui pedir a Tua ajuda e Tu nos ouvirias”.
O rei terminou dizendo: “Não temos força contra essa multidão que avança contra nós. Não
sabemos o que fazer, por isso, temos os olhos postos em Ti!” Que oração poderosa!
Assim que Josafá terminou a oração, um jovem chamado Jaziel dirigiu-se à multidão e disse que
tinha uma mensagem de Deus. Deus havia dito: “não se assustem por causa desse grande exército,
porque essa luta é Minha. Não é necessário lutar. Amanhã, saiam ao encontro deles. E Eu, o Senhor
estarei com vocês.” Maravilhoso, não é?
Já imaginou, você diante de uma batalha, se sentindo incapaz e o Rei, o grande General, lutar em
seu lugar?
No dia seguinte, o povo estava confiante, pois Deus estaria com eles! Então, eles resolveram cantar.
Isso mesmo, um grande coral se formou e louvaram a Deus, agradecidos pela vitória que teriam.
A Bíblia diz que, enquanto cantavam, o Senhor fez com que os exércitos guerreassem entre eles.
E a única coisa que o povo de Deus fez, foi recolher os despojos de guerra (animais, joias, dinheiro,
roupas). Voltaram maravilhados com a maneira como Deus os havia livrado dos inimigos.

APELO: Você gosta de cantar? O louvor é uma forma de adoração a Deus. Através da música, mostramos a nossa gratidão a Ele. Quero convidá-los a cantar nesse momento (uma música pequena e de melodia simples de gratidão) demostrando assim nossa gratidão a Deus por tudo o que Ele tem feito em sua vida.





quinta-feira, 2 de março de 2017

Adoração Infantil


Jesus chorou por um amigo

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em Mim, ainda que morra, viverá”. João 11:25

OBJETIVO: Entender que, através de Jesus, temos vida eterna.

RECURSOS UTILIZADOS: Cenário: criança enrolada com bandagens sai de um sepulcro da época.

INTRODUÇÃO: Amigos, como é bom tê-los conosco! Creio que cada um de vocês tem, pelo menos
um, e outros possuem vários. Mas, é comum termos um mais chegado; aquele que você fica mais
tempo junto, brinca mais... Sabem, queridos! Jesus tinha muitos amigos, mas havia um que era muito
especial para Ele. Apesar de não se verem com frequência, mas sempre que possível, Jesus ia à casa
dele. Acontece que, um dia, esse amigo de Jesus ficou muito doente e O chamaram para visitá-lo.

HISTÓRIA (João 11:1-44): Jesus tinha um amigo que morava em Betânia. Ele se chamava Lázaro.
Um dia, quando Jesus estava bem longe de Betânia, recebeu uma mensagem das irmãs de Lázaro,
comunicando que ele estava muito doente.
Apesar de Jesus ser muito amigo dessa família, permaneceu onde estava por mais uns dias. Os
discípulos ficaram admirados por Jesus não ir de imediato para Betânia. Porém, Ele apenas disse aos
discípulos que a doença de Lázaro não era para morte, e sim para a glória de Deus e que Lázaro estaria
dormindo. Os discípulos ficaram despreocupados, achando que Lázaro já havia melhorado. Mas, percebendo
isso, Jesus explicou a eles que tinha usado a palavra “dormir” referindo-Se à morte, e que
Lázaro havia morrido mesmo.
Finalmente, Jesus dirigiu-Se até Betânia. Mas durante a viagem, Ele não demostrou estar ansioso
ou com pressa. Já estavam chegando, quando Jesus soube que Lázaro tinha sido sepultado há quatro
dias. Assim que Marta soube que Jesus Se aproximava, foi até Seu encontro e Lhe disse: “Senhor, se
estivesses aqui, meu irmão não teria morrido! Mas, sei que não é tarde demais, pois tudo o que o
Senhor pedir, Deus fará.” Percebem como Marta conhecia Jesus? Então, Jesus disse a ela: “Eu Sou a
ressurreição e a vida. Quem crer em mim, ainda que morra, viverá.” Depois desse diálogo, Marta foi
avisar a Maria sua irmã que Jesus havia chegado. Quando se encontraram, ao vê-la chorar, Jesus Se
comoveu e chorou também. As pessoas ficaram admiradas, pois não era comum verem Jesus chorar.
Mas, Ele Se sentiu emocionado ao ver como a morte traz sofrimento. Jesus, foi até a sepultura de
Lázaro, e pediu que removessem a pedra, mesmo as pessoas reclamando (pois já fazia dias que ele
havia morrido e cheirava mal). Jesus olhou para os Céus e orou: “Pai, graças Te dou por Me ouvires. Tu
me ouves sempre... E tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, sai para fora!” E Lázaro apareceu,
lentamente, diante de todos.

APELO: Sabem crianças, é muito triste perder alguém. Naquele dia, lá em Betânia não foi diferente,
mas a família de Lázaro procurou a pessoa certa, Jesus. É a Ele que devemos buscar sempre, por que
Ele Se preocupa conosco; E somente Ele pode nos dar vida. Você quer hoje fazer um novo acordo de
amizade com Jesus?




sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Um exército poderoso

“Ele respondeu: não temas porque mais são os que estão conosco do que os que
estão com eles”. 2 Reis 6:16

OBJETIVO: Explicar às crianças que Deus mostra Sua graça ao ajudar e proteger, embora, às vezes,
Ele permita que problemas nos sobrevenham.

RECURSOS UTILIZADOS: Binóculos.

INTRODUÇÃO: Alguma vez vocês já ficaram assustados e com muito medo? Nossa história de hoje é sobre alguém que estava muito assustado. Mas Deus ajudou para que seus olhos vissem o que ele normalmente não enxergaria – uma surpresa escondida.

HISTÓRIA (2 Reis 6: 8-23): A Síria e Israel estavam em guerra. No entanto, sempre que o rei da Síria
atacava, o rei de Israel era avisado e evitava ser surpreendido pelas emboscadas das tropas inimigas.
Isso se repetiu tantas vezes que o rei da Síria se convenceu de que havia um traidor entre eles.
Então, pediu aos seus oficiais que descobrissem quem era essa pessoa que estava atrapalhando seus
planos. E um deles respondeu ao rei de que não existia nenhum traidor, e que essa pessoa era o profeta
Eliseu que contava ao rei de Israel todos os planos que os sírios faziam, até mesmo aqueles que
eram preparados em segredo.
Certa noite, o rei da Síria mandou um grande exército cercar a cidade de Dotã, onde estava o profeta
Eliseu.
Na manhã seguinte, quando o ajudante de Eliseu se levantou e viu todo aquele exército, com
carros, escudos, lanças e todo aparato de guerra, ficou apavorado. Foi correndo avisar ao profeta, e,
angustiado perguntou: - o que vamos fazer senhor? Como fugiremos?
Então, calmamente, o profeta respondeu: - não tenha medo, porque os que estão conosco são mais
numerosos do que os que estão com eles.
Eliseu pediu ao Senhor que abrisse os olhos do seu ajudante, para que ele visse. E sabem o que ele
viu? Que a montanha estava cheia de cavalos e carros de fogo.
Quando o exército se aproximou, Eliseu pediu ao Senhor que os cegassem, e quando eles estavam
mais perto, com muita coragem, Eliseu disse ao exército que eles estavam no caminho errado, e que
ele iria conduzi-los até o lugar onde estava o homem que eles procuravam.
Eliseu os guiou até Samaria, deixando-os dentro da cidade e novamente pediu a Deus que abrisse
os olhos daqueles homens. Então, os soldados atônitos perceberam que estavam em Samaria.
O rei de Israel perguntou a Eliseu se poderia ferir esses soldados inimigos, mas o profeta disse que
não. Que dessem água e comida para todos eles, e depois mandasse todos para casa. E o rei fez tudo
o que Eliseu falou.

APELO: Existem forças poderosas vindas do Senhor que lutam ao nosso lado, se tivermos fé para
pedir essa companhia. Peça a Deus hoje que mantenha seus “olhos da fé bem abertos” para reconhecer
nossos inimigos e ver que Deus está ao nosso lado.



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Quando o sol parou

“...Sol, detém-te em Gibeão, e tu, Lua, no vale de Aijalom. E o Sol se deteve, e a
Lua parou...”. Josué 10: 12 e 13


OBJETIVO: Fazer com que as crianças entendam que Deus nos ama tanto, que faz qualquer coisa
para ajudar Seus filhos.

RECURSOS UTILIZADOS: Sol e lua de papel, borracha, pano, gelo.

INTRODUÇÃO: Quantas horas tem um dia? Vocês sabem? Acham que é pouco ou muito tempo
para estudar e para brincar? Já pensaram se pudessem aumentar as horas do dia? A Bíblia é um livro
espetacular, pois nele encontramos uma história que fala sobre o dia mais longo que os outros dias e
o porquê disso ter acontecido.

HISTÓRIA (Josué 10:12-14): A fama das conquistas dos israelitas se estendeu. Por essa razão, os
reis das cidades vizinhas de Canaã se aliaram para impedir que os israelitas invadissem essa região.
Quando ficaram sabendo que os gibeonitas tinham feito um acordo de paz com Israel, ficaram furiosos
achando que eles eram traidores e decidiram atacá-los.
Apavorados, os gibeonitas pediram ajuda a Josué, que logo consultou a Deus. E, para sua surpresa,
Deus mandou que eles fossem ajudá-los, e que fossem depressa. Os exércitos marcharam durante a
noite e chegaram ainda em tempo. Como foram apanhados de surpresa, os cinco reis se dispersaram.
Durante a luta, aconteceram duas coisas impressionantes, e fora do comum: Primeiro, houve uma
trovoada com enormes pedras de granizo caindo sobre o inimigo. A Bíblia diz que foram mais os que
morreram pela chuva de pedras do que por causa da batalha.
Porém, a noite logo chegaria e os inimigos fugiriam. Então, Josué fez um pedido diferente para
Deus: pediu para terem mais algumas horas com a luz do sol, para poderem vencer os cananeus. Se
eles vencessem, o caminho para o mar ficaria livre e toda a terra de Canaã seria conquistada.
Não sabemos como foi, mas a Bíblia diz que “o sol ... se deteve” e a “lua parou até a batalha ser ganha”.
Nunca havia acontecido nada parecido e todos os habitantes de Canaã ficaram surpresos com esse
dia tão comprido. Quando souberam que isso tinha acontecido para que a batalha fosse ganha, perderam
o interesse em lutar e assim as batalhas seguintes foram todas ganhas por Josué, conforme a
promessa de Deus.

APELO: Josué alcançou o que pediu a Deus, através da oração. Que Deus maravilhoso! Ele não mede
esforços para atender aos Seus filhos. Crianças, para o nosso Deus, não há nada impossível; não há
nada que Ele não possa fazer. Nós só precisamos levar a Ele nossos pedidos, e Ele fará o que for
melhor. Vocês gostariam de fazer isso agora e todos os dias de suas vidas? Vamos orar?




sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Deus ouve o grito de socorro

“Abrindo-lhe Deus os olhos, ela viu um poço de água, e, indo a ele, encheu de água o
odre e deu para o rapaz”. Gênesis 21:19

OBJETIVO: Explicar às crianças que para Deus não existe impossível; Ele fará tudo para nos salvar.

RECURSOS UTILIZADOS: Cantil, flecha.

INTRODUÇÃO: Quando você está com muito calor, o que mais gosta de beber? Já imaginou estar
em um deserto, sem saber para onde ir e sua água ter acabado? Será que dá para sobreviver sem
água? A história de hoje tem uma situação assim.

HISTÓRIA (Gên. 21:9-20): Com o nascimento de Isaque, o relacionamento de Hagar e Sara,
esposa de Abraão, ficou muito difícil. Hagar tinha um filho chamado Ismael, e este caçoava de Isaque,
tornando a vida da família muito turbulenta. Então, Sara pediu a Abraão que mandasse Hagar embora,
e ele obedeceu. Abraão havia falado com Deus, e Deus prometera cuidar de Ismael.
Abraão levantou-se de madrugada, preparou um lanche, com pães e água, pôs tudo nas costas de
Hagar, entregou-lhe o menino e despediu-se dela.
Hagar e Ismael saíram andando pelo deserto sem um lugar certo para irem. A viagem era cansativa;
o deserto era muito quente durante o dia, e muito frio à noite. O lanche acabara e a água também;
não havia nenhum poço ali por perto. Eles estavam com fome e sede. Então, nesse momento, Hagar
percebe que seu filho está fraco, desidratado. O que fazer? Ela colocou o menino debaixo de uns
arbustos, e ficou distante dele, pois não queria vê-lo morrer, já que não havia mais solução para
suas vidas; só via a morte à sua frente e o calor do deserto. Fome, sede, sem direção, sem ninguém
para ajudar, sem casa, sem amparo, nem amigos. Naquele momento de desespero e tristeza, Hagar
levantou a voz e chorou.
Enquanto isso, o menino orava debaixo da árvore, invocando ao Deus de Abraão, pois seu pai
Abraão o ensinou a orar. Deus ouviu a oração do menino e enviou um anjo que falou diretamente
com a mãe aflita, para confortá-la e animá-la, e disse-lhe: - “Que tens, Hagar? Não temas, porque Deus
ouviu a voz do menino, daí aonde ele está. Ergue-te, levanta o menino, pega-lhe pela mão, porque
dele farei uma grande povo.”
Então, Deus abriu os olhos de Hagar e ela viu um poço de água e, indo até lá, encheu de água o odre
(cantil), e deu de beber a Ismael. Deus estava com Ismael, que cresceu, habitou no deserto e tornou-se
flecheiro. Deus tinha prometido que iria fazer desse menino uma grande descendência, e fez.

APELO: Deus enviou água para salvar a vida de Hagar e Ismael, pois em todos os momentos o Senhor
esteve com eles. E hoje, Ele também está conosco, e continua pronto para nos ajudar e salvar. Basta
apenas “levantar a voz” e falar com Ele. Vocês gostariam de fazer como Ismael, de levar a Deus todas
as suas preocupações a cada dia? Vamos experimentar agora?



sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

A corda da salvação

“O que, ouvindo, desfaleceu o nosso coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa
presença; porque o Senhor vosso Deus é Deus em cima nos céus e embaixo na terra”. Josué 2.11

OBJETIVO: Explicar às crianças que a oferta de salvação é para todos os pecadores. Não importa o
tamanho do pecado.

RECURSOS UTILIZADOS: Uma corda vermelha, um lenço para cobrir a cabeça, gravuras de
cidades antigas cercadas por muros (casas nos muros).

INTRODUÇÃO: Vocês já esconderam algum objeto de alguém? Um doce, um brinquedo, uma figurinha...
e ficou com medo que descobrissem? A Bíblia conta a história de uma mulher que escondeu
dois homens enviados por Deus e como sua vida mudou depois disso.

HISTÓRIA (Josué 2:1-24): Os israelitas tinham um novo líder, Josué. Após a morte de Moisés, Deus
o escolheu para dirigir o Seu povo. E agora, Deus prometera estar com ele. Quando Josué se sentiu
incapaz, Deus disse: “sê forte e corajoso, tenha bom ânimo, você será um vencedor”!
E seu primeiro grande desafio foi conquistar a cidade de Jericó. Mas, para isso, era necessário atravessar o rio Jordão e entrar na cidade. Então, ele enviou dois espiões para observarem a cidade. Eles entraram disfarçados, e se hospedaram na estalagem de uma mulher chamada Raabe.
Passado algum tempo, o rei ficou sabendo que havia espiões em Jericó, e mandou soldados até a
estalagem de Raabe para prendê-los. Mas ela mandou os espiões subirem até o terraço e os escondeu
lá em meio aos fardos de linho que ali estavam para secar.
Quando os homens ordenaram: “Traga para fora os homens que você tem na sua casa! Raabe
disse: ‘Alguns homens vieram para cá, mas eu não sabia donde eram. Partiram quando escureceu
antes de se fechar o portão da cidade. Se vocês correrem, poderão alcançá-los!’” De modo que os
homens foram correndo atrás deles.
Depois que foram embora, Raabe subiu no telhado para falar com os espiões. “Sei bem que o Senhor
lhes deu esta terra”. Sei como Ele secou o Mar Vermelho para que vocês passassem... ela relatou outros milagres e mostrou que tinha certeza do poder divino. Então, fez um acordo com os espias: ela os ajudaria a fugir, mas em troca, eles poupariam a vida dela e de sua família, quando conquistassem a cidade.
Os espiões prometeram isso, porém Raabe tinha de fazer algo: ‘Tome esta corda vermelha e
prenda-a à janela , disseram-lhe, ‘e ajunte todos os seus parentes na sua casa. Quando todos voltarmos para tomar Jericó, veremos esta corda na sua janela e não mataremos a ninguém na sua casa’.
Quando os espias voltaram, contaram tudo a Josué.
Mais tarde, quando a cidade caiu nas mãos dos israelitas, Raabe amarrou a corda na janela e toda a
sua família se salvou. A partir daquele tempo, ela passou a habitar com os israelitas, seguindo o Deus
verdadeiro e sendo grata pela sua salvação e da sua família.

APELO: Todos em Jericó ouviram a respeito do Deus de Israel, mas naquele dia apenas Raabe e
sua família foram poupados, apesar de serem pecadores. Hoje, eu e você temos a oportunidade de
receber essa graça de Cristo. Quem sabe, nesta semana, você tenha cometido muitos erros, colando
na escola, desobedecido, brigado com o colega, dito mentiras... não sei. O que eu sei, é que a graça
salvadora de Jesus está disposta a ajudar vocês. Aproveitem essa oportunidade! Neste momento,
quantos aceitam a graça de Jesus?











sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

A escolha certa

“Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”. Lucas 19:10

OBJETIVO: Devemos aproveitar todas as oportunidades para estar mais perto de Jesus.

RECURSOS UTILIZADOS: Três cruzes, personagens em papel, presos em palitos (Jesus, com
expressão de amor; um ladrão com expressão de zombaria e o outro com expressão de gratidão,
placas para o apelo: uma gravura do céu e outra da terra destruída).

INTRODUÇÃO: Imaginem se vocês estivessem em uma situação de perigo, e alguém apresentasse
a vocês uma solução? Vocês aceitariam ou ficariam ali esperando que algo pior acontecesse? É lógica
a resposta, não é? Mas saibam todos vocês, que a Bíblia conta a história de dois homens, e só um
soube escolher o certo.

HISTÓRIA (Lucas 23:32-43): No final daquela tarde de sexta-feira, estavam três cruzes no alto do
calvário. A de Jesus no meio e de cada lado também estavam dois condenados à morte, em consequência de seus muitos crimes.
Jesus estava despido, exausto e sangue escorria por sua face. Os soldados continuavam zombando
dEle. E, quando pediu água, mergulharam uma esponja em vinagre e deram para Ele beber. Essas
eram as circunstancias em que Jesus Se encontrava. Mesmo assim, continuava calmo e Seu semblante
transmitia paz.
A certa altura, um dos criminosos começou a blasfemar e, zombando de Jesus, pediu-lhe ajuda,
dizendo com ironia:
- Você não é Cristo? Então, salve a Si mesmo e a nós também!
Quando ouviu isso, o criminoso que se encontrava do outro lado, inesperadamente, repreendeu
o colega:
- Nem estando nessa situação você teme a Deus? Nós estamos aqui com razão, pois pagamos pelos
nossos erros, mas Ele não fez mal nenhum – Depois, fez um pedido, com convicção e humildade: -
Jesus, lembra-Te de mim, quando entrares no Teu reino!
Jesus ficou emocionado com essa atitude. No momento em que Se sentia completamente abandonado
por todos, eis que esse homem, um criminoso, não deixou que Ele fosse acusado e, mais interessante
ainda, demonstrou ter fé em Jesus com sua atitude e acreditar sinceramente em Sua missão.
Diante disso, Jesus respondeu:
- Na verdade te digo, estarás comigo no Paraiso.
Foi uma das promessas mais lindas de Jesus! E esse ladrão terá, sem dúvida, um lugar no paraíso.

APELO: Nesse dia, dois homens tiveram a mesma oportunidade, estando na mesma situação, mas
fizeram escolhas diferentes. Hoje, estamos aqui nas mesmas condições, e Jesus nos dá a oportunidade
de nos arrepender dos nossos pecados e nos tornar pessoas melhores. O que vamos escolher: estar
com Jesus ou longe dEle?




quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Está feito!

“Então Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse: está consumado. E, inclinando a cabeça
entregou o espírito.” João, 19:30

OBJETIVO: Compreender que o sacrifício de Cristo foi a maior prova de amor que já aconteceu.

RECURSOS UTILIZADOS: Cruz com a escrita no braço direito, indicando o passado e no braço
esquerdo, o futuro, véu (cortina do Templo), som de relâmpagos e trovões.

INTRODUÇÃO: Vocês já estiveram em meio a uma tempestade? Assustador, não é? Mas saibam que houve um dia em que a Natureza se enfureceu de tal maneira, que as pessoas acharam que iam morrer.

HISTÓRIA (João 19:25-30 e Mateus 27:45-56): Embora ainda fosse dia, uma escuridão anormal
envolveu, repentinamente, aquele local.
As pessoas que estavam junto à cruz, começaram a ficar assustadas.
Várias mulheres choravam, porém, a mais inconsolável era, sem dúvida, Maria, a mãe de Jesus. Ela
colocou suas esperanças no querido Filho, por isso não se conformava com aquela situação. Em certo
momento, levantou a cabeça em direção àquele rosto ensanguentado e percebeu que Jesus estava
falando para ela: - Mulher! Eis aqui o teu filho!
Depois, voltando os olhos para Seu fiel amigo e companheiro, Jesus disse: - João, eis aí tua mãe!
Mesmo nos últimos e mais angustiantes momentos de Sua vida, Jesus pensou em Sua mãe e ambos
compreenderam Sua mensagem.
Eram quase três horas da tarde – a hora nona – e a escuridão já era total!
De repente, uma voz ecoa, clamando: “Meu Deus, Meu Deus, por que Me desamparaste?”.
As pessoas não perceberam bem, mas se tratava do momento de maior sofrimento e angústia, em
que o inocente Jesus pagava todos os pecados da humanidade com Seu sangue.
Depois, Ele falou de novo, dizendo: “Está consumado! Pai, em Tuas mãos entrego o Meu espírito”.
Sua cabeça se inclinou sobre o peito; Ele estava morto; terminara a terrível luta!
Jesus havia cumprido Sua missão na Terra e seria vitorioso. De repente, Jesus ficou quieto sobre a
cruz, e toda a Natureza se agitou em fúria: sentiu-se um terrível terremoto. Grandes rochas se desprenderam
e rolaram montanha abaixo. Os relâmpagos fenderam os Céus. Ouviu-se o barulho assustador
de trovões. O medo fez com que as pessoas corressem, tentando se salvar. Só os soldados, por
causa da função que exerciam, permaneceram no local. O chefe deles, olhando para Jesus, à luz de
um relâmpago, exclamou: - Certamente este era o Filho de Deus...
Naquela mesma hora, também se ouviu um estrondo dentro do templo e o véu se rasgou; já não
era mais necessário o sacrifício do cordeiro, pois o verdadeiro Cordeiro havia sido morto naquele
momento.
Agora, todos podiam ir a Deus, por meio de Jesus. A cruz marcou a diferença entre o antes e o
depois. Digamos que um braço da cruz apontava para o passado e o outro para o futuro. A morte de
Jesus nos libertou da morte e nos livrou do pecado.

APELO: Jesus passou pela morte para que eu e você vivêssemos eternamente. Sabem o que é necessário
para isso acontecer? Aceitarmos o Seu sacrifício. Então, digam hoje: Querido Jesus, eu aceito
esse presente de viver eternamente na Tua presença, junto com os salvos.




segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Na estrada de Emaús

“Abriram-se os olhos, e O reconheceram, nisto Ele desapareceu de diante deles.” Lucas 24:31

OBJETIVO: Perceber a importância de conhecer a Jesus.

RECURSOS UTILIZADOS: Placas e setas (indicando o nome da cidade de Emaús), pão, pano preto(morte) pano branco (vida), mala de viagem.

INTRODUÇÃO: Falar de morte não é um assunto que gostamos, porque Deus não nos fez para isso.
Mas, foi através da morte de um homem - Jesus, que poderemos viver para sempre. No domingo, após a morte de Jesus, algumas mulheres foram ao lugar aonde Jesus havia sido colocado, e algo extraordinário havia acontecido.

HISTÓRIA (Lucas 24:13-34): A Bíblia nos conta que na manhã do domingo, bem cedo, antes do
Sol raiar, as mulheres chegaram ao sepulcro, encontraram o túmulo aberto e não havia soldados;
somente um jovem vestido de branco, sentado ao lado. Elas ficaram com tanto medo, que quiseram
fugir. Então, ele lhes disse: - Não tenham medo, pois sei que vocês procuram a Jesus. Ele não está aqui, já ressuscitou, como tinha dito. Agora, vão e contem aos Seus discípulos, incluindo a Pedro, que Jesus foi para a Galileia e ali O verão.
Aquelas mulheres, assustadas e confusas, correram imediatamente para Jerusalém. Só que os discípulos não acreditaram no que elas disseram; por isso, Pedro e João saíram apressados para ir de
novo ao sepulcro, para confirmar se isso era verdade. Quando chegaram lá, eles viram que o sepulcro
estava vazio; só Maria Madalena ficou chorando ali no jardim. Mas, logo ela viu Alguém, e perguntou- -Lhe por Jesus, ao que Ele respondeu: - Maria!
- Mestre! – disse ela, reconhecendo Sua voz.
- Não Me toque – pediu Jesus – Pois ainda não subi para o Meu Pai. Vá se encontrar com os outros
e diga-lhes que em breve subirei ao Céu.
Maria saiu correndo; Jesus estava vivo e ela O havia visto. Mas era preciso que os discípulos acreditassem nela, porém eles não acreditaram.
Finalmente, dois dos discípulos dirigiram-se à aldeia de Emaús. Eles estavam muito tristes e comentavam sobre o que havia acontecido. Então, perceberam que Alguém caminhava com eles. Aquele estranho puxou conversa, perguntando o que estava acontecendo e eles relataram tudo. O estranho ouviu tudo, sem interromper. No fim, para a grande surpresa de ambos, Ele os repreendeu:
- Mas vocês não estão sendo sensatos! É assim tão difícil crer em tudo que os profetas escreveram
nas Escrituras? Lá está escrito que Jesus teria de sofrer todas essas coisas.
Quando chegaram a Emaús, os discípulos O convidaram para que jantassem juntos. Quando
Ele deu graças, pegou o pão, partiu-o e ao distribuí-lo entre eles, todos O reconheceram. Mas
Ele já tinha desaparecido.
Maria Madalena falara a verdade! Jesus estava vivo! Eles haviam acompanhado esse Homem e jantado juntos. Agora, tinham que correr para contar aos outros.

APELO: Queridas crianças, precisamos conhecer Jesus hoje, para que O reconheçamos quando Ele
vier nos buscar. Através do estudo da Bíblia e da oração, vamos conhecer melhor o nosso Salvador!
Vocês querem orar e estudar mais a Palavra de Deus?






quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A Cruz venceu!

“Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” 1 Coríntios 15:55

OBJETIVO: Entender que a morte de Jesus foi necessária, para que vivêssemos.

RECURSOS UTILIZADOS: Uma cruz, lenços (choro), coroa de espinhos, um balde cheio de pedras (dar o peso para as crianças segurarem e sentirem seu efeito.)

INTRODUÇÃO: Alguém aqui já teve que carregar algo muito pesado? Foi fácil? (Dar o balde com
pedras para segurarem; comentar sobre o peso). A história de hoje, conta sobre um homem que teve
que carregar algo muito pesado, mesmo não sendo dele, mas ele carregou sem reclamar.

HISTÓRIA (Lucas 23:26-37): Jesus já estava muito cansado e cheio de dores, quando Lhe exigiram
que carregasse a pesada cruz em que Ele seria crucificado. O peso era muito grande e a todo o
momento, Jesus caía.
Os soldados então, obrigaram um homem chamado Simão a carregar a cruz de Cristo. Aquele
homem, que nesse momento, passava por Jerusalém, como muitos outros, mesmo sem entender,
carregou aquele peso especial.

O triste cortejo avançava e Simão seguia carregando a cruz. Jesus Se arrastava, acompanhado de soldadosfortemente armados, cumprindo a missão que lhes fora confiada.
Havia muita gente na rua – os que ali viviam e os que estavam visitando Jerusalém para festejar a
Páscoa. Todos estavam abalados com a cena e muitos ainda se lembravam do que Ele havia dito:
“No mundo tereis aflições, mas tenham bom ânimo, Eu venci o mundo.”
Em certo momento, vendo as mulheres que choravam, Jesus teve a oportunidade de dizer:
“Filhas de Jerusalém, não chorem por Mim, mas por vocês e por seus filhos” – advertindo-as assim
para os tempos difíceis que teriam que passar. E o cortejo prosseguia...
Cristo atravessou a cidade e começou a subir o difícil caminho, em direção ao Calvário. Esse era o
monte onde Jesus seria crucificado como nosso único Salvador.
Chegando ali, os soldados despiram Jesus e O deitaram sobre a cruz, com os braços estendidos. Com
enormes pregos, pregaram Suas mãos e pés. Porém, em meio àquela triste cena, as pessoas que ali
estavam ouviram uma extraordinária frase, que nunca ninguém tinha ouvido dos lábios de um condenado:
“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” Enquanto as pessoas se preocupavam para
crucificar a Cristo, Ele Se preocupava em defendê-las. As mulheres que O seguiram, contemplavam-nO através das lágrimas.
Aqueles a quem Ele tinha curado sentiam grande tristeza. Eles lamentavam não poder fazer nada.
Mas Jesus morria, para que pudéssemos ser perdoados e ter a vida eterna. Sim, fomos salvos pelo Seu
sangue. Por que Jesus não ficou naquela cruz, a morte não O venceu! Naquela triste tarde, Jesus nos
deu o passaporte para a vida eterna.

APELO: Diante desta história com um cenário tão triste, onde a maior demonstração de amor dada
a nós é apresentada, tenho uma pergunta a fazer: Vocês aceitam Jesus como seu Salvador pessoal?