sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Perdão que restaura



“Perdoem, e serão perdoados.” Lucas 6:37

OBJETIVO: Saber que Deus ajudará Seus filhos a perdoarem àqueles que os maltratam.

RECURSOS UTILIZADOS: Roupas dos tempos bíblicos para vestir um menino, alimentos (cereais),
um abraço (braços de pelúcia) para simbolizar perdão.

INTRODUÇÃO: Quando alguém faz algo muito ruim, por exemplo: quebra um brinquedo que você
gosta muito, chuta sua perna de propósito durante o jogo, come seu lanche... é fácil perdoar? Você
fica com raiva? A gente fica zangado não é mesmo? Mas sabe, a Bíblia conta a história de um homem
que tinha muitos motivos para não perdoar, mas escolheu outro caminho.

HISTÓRIA (Gêneses 45:1-15; 47:1-12): José tinha vários motivos para odiar seus irmãos; e agora
poderia vingar-se, pois era o responsável por todo o mantimento disponível na Terra, e seus irmãos
precisavam desse alimento para sobreviver. Mas, ao invés de vingar-se, José, depois de testá-los para
saber se ainda eram maldosos, contou que era irmão deles. José, chorando muito, os abraçou e os
beijou. Seus irmãos, inicialmente, sentiram muito medo de que José se vingasse deles, mas, depois,
aliviados, puderam ver que ele só queria ajudá-los.
José, imediatamente, mandou que os irmãos fossem chamar seu pai e o restante dos parentes para
que ficassem junto dele, e não passassem necessidade, já que a fome sobre a Terra ainda demoraria
alguns anos.
O encontro de José com seu pai foi emocionante! Jacó pensava que José havia morrido, Mas
estava enganado, pois seu filho querido estava novamente em seus braços; não havia felicidade
maior que aquela.
José chegou a ser o governador e assim pôde ajudar a sua família, porque amava a Deus e Deus
estava com ele.
Jacó, seus filhos e todos os netos ficaram morando no Egito. Faraó, o rei, deu-lhes muitas terras
e ovelhas.
Passados vários anos, Jacó, quando já estava bem velho, chamou os seus filhos e os abençoou.
Viram como Deus cumpriu todas as promessas que fizera desde Abraão, Isaque e Jacó? E até nos
dias de hoje, Ele continua cumprindo Suas promessas.

APELO: José perdoou seus irmãos. Se você brigou com seus amiguinhos, deve pedir desculpas. Ou
se o seu amiguinho está zangado com você e lhe pedir desculpas, você deve perdoá-lo. Quando perdoamos,
somos mais felizes. Se você perdoou uma, duas, três, quatro, cinco vezes, ainda é pouco;
continue perdoando, porque Deus também perdoou todos os seus pecados, através de Jesus, o Filho
de Deus.



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A fé do comandante


“Porque saía dEle virtude e curava a todos...” Lucas 6:19

OBJETIVO: Saber que Jesus tem poder para curar, independente de o doente estar presente ou não;

RECURSOS UTILIZADOS: Chapéus de soldado de papel (um maior e de cor diferente para representar,
o oficial e outros menores para representar os soldados), um chapéu tipo turbante representando
o empregado, curativos para identificá-lo como doente.

INTRODUÇÃO: Observem esse personagem! (Mostrar o chapéu que representa o oficial) A Bíblia
conta que ele era muito importante, e comandava 100 homens. Será que ele era um comandante bravo?

HISTÓRIA (Lucas 7:1-10): Havia ali um oficial romano que tinha um empregado a quem estimava
muito. O empregado estava gravemente doente, quase morto. Quando o oficial ouviu falar de Jesus,
enviou alguns líderes judeus para pedirem a ele que viesse curar o seu empregado. Eles foram falar
com Jesus e lhe pediram com insistência:
_ Esse homem merece, de fato, a sua ajuda, pois estima muito o nosso povo e até construiu uma
sinagoga para nós.
Então, Jesus foi com eles. Porém, quando já estava perto da casa, o oficial romano mandou alguns
amigos dizerem a Jesus:
—Senhor, não Se incomode, pois eu não mereço que entre na minha casa. E acho também que
não mereço a honra de falar pessoalmente com o Senhor. Dê somente uma ordem, e o meu empregado
ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que
obedecem às minhas ordens. Digo para um: “Vá lá”, e ele vai. Digo para outro: “Venha cá”, e ele vem.
E digo também para o meu empregado: “Faça isto”, e ele faz.
Jesus ficou muito admirado quando ouviu isso. Então, Ele Se virou e disse para a multidão
que O seguia:
—Eu afirmo a vocês que nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel!
E os amigos do oficial voltaram para a casa dele e encontraram o empregado curado.

APELO: Você se preocupa com as necessidades das pessoas que estão ao seu redor? Este oficial
levou a necessidade de seu servo a Jesus e demonstrou uma fé surpreendente. O que Jesus espera é
que cuidemos uns dos outros.




sexta-feira, 8 de setembro de 2017

O homem que mudou de vida

“Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o Seu prazer.” Provérbios 1:1

OBJETIVO: Compreender que Deus vê o coração e está pronto a perdoar nossos pecados.

RECURSOS UTILIZADOS: Vaso com uma planta, tipo árvore, boneco ou gravura representando
Zaqueu e Jesus, pode-se usar também prendedores de roupa, sendo que o que representa Jesus deve
ser maior e mais vistoso.

INTRODUÇÃO: Apresentar um coração de papel ou outro material e levantar o seguinte questionamento:
crianças, o que esse coração representa? Discutir de uma forma simples o que é amor. Você
ama seu pai, sua mãe, seus irmãos... sua família, seus brinquedos... mas o que é amor de verdade?
Como será que é o amor de Deus por nós? A Bíblia nos conta uma história linda sobre o amor de Jesus.

HISTÓRIA (Lucas 19:1-10): Na cidade de Jericó, com suas palmeiras e jardins, regados por fontes
de águas cristalinas, morava Zaqueu, um cobrador de impostos. Muita gente não gostava dele, e dizia
que sua riqueza era fruto de roubo, ao cobrar das pessoas mais do que devia. E isso era verdade.
Certo dia, Zaqueu descobriu que Jesus passaria por Jericó, pois estava indo para Jerusalém. Ele
sabia que não era uma pessoa honesta e, quando pensava em Cristo, ficava triste pelas coisas erradas
que havia feito. Será que Jesus poderia perdoá-lo?
As ruas estavam cheias. Todos queriam ver o Mestre. Zaqueu era baixinho e não conseguia enxergar
por cima da cabeça dos mais altos. Então, ele teve uma ideia: Correu à frente do grupo, subiu em uma
árvore que ficava à beira do caminho e sentou-se num galho. Agora ele poderia ver o Mestre.
A multidão começou a se aproximar e parou bem perto da árvore onde Zaqueu estava. Jesus olhou
para cima e o viu ali. Cristo sabia que Zaqueu havia sido mau, mas queria ajudá-lo, mesmo assim.
- Zaqueu! – chamou Jesus - Desça depressa, porque hoje ficarei em sua casa.
Zaqueu não podia acreditar. Cristo o chamou pelo nome e disse que ficaria em sua casa! Então, ele
desceu rapidamente da árvore e preparou uma refeição saborosa para Jesus. Além disso, contou ao
Mestre tudo o que havia feito de errado, pediu perdão e prometeu devolver às pessoas o dinheiro que
lhes pertencia.

APELO: Jesus ficou muito contente por ajudar aquele homem a ser honesto. E, realmente, só
podemos ser felizes, se em nosso coração não houver nenhuma manchinha de maldade ou desonestidade.
Quem aceita hoje o perdão de Jesus?






quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Um amigo verdadeiro

“Amigos vem e vão, mas o verdadeiro amigo é mais chegado que um irmão.” Provérbios 18:24

OBJETIVO: Ser um amigo verdadeiro de Jesus e dos outros.

RECURSOS UTILIZADOS: Gravuras da arca, poço de papelão, sementes, personagens com palitos
(pesquisar palitoches).

INTRODUÇÃO: Quando Davi era rei, enfrentou muitos perigos, muitos adversários. Mas, o mais
difícil foi quando seu filho resolveu tomar o seu lugar.

HISTÓRIA (2 Samuel 16:1-4; 17:1-22): É na dificuldade que se vê quem são os amigos verdadeiros
e isso também aconteceu com Davi.
Davi precisou sair apressadamente de Jerusalém, pois Absalão, seu filho estava vindo atacá-lo e
tomar o trono. O sacerdote Zadoque também estava lá, acompanhado pelos levitas, transportando a
Arca da Aliança. O rei chegou junto deles e mandou que eles voltassem para a cidade, e acrescentou:
- “Se o Senhor me quer bem, fará com que eu regresse a fim de tornar a ver a arca sagrada.”
Logo a seguir, Absalão entrou em Jerusalém com seu exército e ocupou o trono do pai.
Um dos seus conselheiros o incitou a seguir e matar Davi, mas Husai, que era um velho amigo de
Davi, aconselhou que se organizassem primeiro. Isso era para dar tempo para Davi fugir. Com esse propósito,
resolveu mandar dois sacerdotes, chamados Abiatar e Zadoque, avisarem a Davi para que atravessasse
rapidamente o Jordão. Mas, enquanto os dois iam, foram vistos por um soldado e tiveram
que se esconder.
Entraram em um poço. A mulher que era dona do poço, percebendo a situação, estendeu uma
manta por cima do poço e espalhou grãos sobre ele, de modo que ninguém suspeitou de nada.
Quando os homens de Absalão se foram, os sacerdotes avisaram a Davi.
Na manhã seguinte, organizou-se a travessia, e Davi e os que o acompanhavam já se encontravam
todos na outra margem, longe do perigo.

APELO: Que bom amigo foi Husai. Deus o usou para salvar o rei Davi e sua família. Ele quer hoje que você também seja um amigo fiel. Você aceita?



segunda-feira, 28 de agosto de 2017

De órfã à rainha



“Reúna os judeus e jejuem em meu favor... Depois disso irei ao rei”. Ester 4:16

OBJETIVO: Ensinar que devemos confiar no Senhor, porque Ele conhece o futuro e sabe o que é
melhor para nós.

RECURSOS UTILIZADOS: Coroa, cetro, véu de noiva ou anel de casamento, papel e pena para
assinar o tratado, correntes para prisão de Hamã.

INTRODUÇÃO: Na vida do cristão não existe sorte nem azar. Deus está no controle de tudo. Se algo estranho ou incômodo nos acontece, provavelmente haverá um propósito por trás daquilo. Foi assim
com Ester, que por sua obediência trouxe a salvação ao povo judeu.

HISTÓRIA (Ester capítulos 2, 7 e 9): Ester era judia, ela era uma israelita. Vivia na Pérsia, em Susã,
com seu primo mais velho, chamado Mordecai. Ele tinha sido levado de Jerusalém para o exílio por
Nabucodonosor, rei da Babilônia, entre os que foram levados prisioneiros. Os pais de Ester morreram e seu primo a criou como filha.
O rei da Pérsia precisou de uma nova rainha. Ele anunciou: “Tragam-me as moças mais bonitas de
toda parte do meu reino”. Ester foi uma das moças levadas para o palácio.
Quando o rei encontrou Ester, ele a escolheu para ser sua rainha.
Um homem chamado Hamã era o principal ajudante do rei. Ele não gostava do povo judeu. Os
judeus eram o povo escolhido de Deus. Hamã queria que todos se curvassem perante ele, pois era
muito orgulhoso. Um dia, Mordecai recusou a se curvar diante de Hamã.
Mordecai se curvaria apenas para Deus. Hamã, muito nervoso, foi até o rei e disse: “Os judeus são
pessoas ruins”. O rei deveria assinar uma lei que ajudasse a nos livrar desse povo. Então o rei assinou
a nova lei, mas não sabia que sua rainha era judia. O povo de Deus estava em grande perigo e a nova
rainha também!
Mordecai ouviu a respeito da nova lei. Ele correu para avisar Ester: “Você precisa se salvar e
também salvar todo o povo de Deus”. Talvez Deus tenha feito você ser rainha por esta razão.
Então, Ester teve um plano que seria muito arriscado para ela. Ester não poderia ir até à presença
do rei sem ser chamada por ele. E como faria? Mesmo assim, arriscou a sua vida. Ela só ficaria viva, se assim que fosse falar com o rei sem ser chamada, o rei estendesse o cetro para ela. E assim aconteceu.
Ester convidou o rei e Hamã para um jantar especial. Então, ela perguntou ao rei: “Por que Hamã
quer se livrar de mim?” O rei ficou surpreso. Ela disse: “Eu sou judia. Hamã o enganou para fazê-lo
assinar a nova lei que pode matar todos os judeus”.
Na mesma hora, o rei disse a seus guardas: “Prendam Hamã!” Então, o rei fez de Mordecai, primo
da rainha, seu novo ajudante principal. E falou para a rainha Ester: “Eu farei uma nova lei que manterá
você e seu povo salvos”.
Deus usou Ester para salvar o seu povo! Ester foi muito corajosa!

APELO: E nós, temos coragem para dizer que fazemos parte do povo de Deus? Você fala de Jesus às
pessoas?





quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Os doze amigos de Jesus


“Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando.” João 15.14

OBJETIVO: Saber que Jesus não faz diferença com as pessoas.

RECURSOS UTILIZADOS: Rede de pesca, personagens em caixa de ovos (pesquisar os doze apóstolos
em caixa de ovos, colocar um lencinho de desbravadores em cada um).

INTRODUÇÃO: Vocês gostam de ter amigos? É muito bom! Jesus também gostava de ter amigos.
Por onde Ele passava, sempre havia muitas pessoas que O seguiam. Foi então que Jesus resolveu escolher
algumas pessoas para estarem mais pertinho dEle; seriam os Seus discípulos, pois assim aprenderiam
ainda mais sobre as coisas de Deus e poderiam ensinar outras pessoas. Vamos ver como isso
aconteceu?

HISTÓRIA (João 1:29-45): Jesus havia passado 40 dias a sós com Deus, e tinha sido uma experiência
incrível! Esse tempo O fortaleceu espiritualmente para poder enfrentar o futuro. Havia chegado
a hora de tratar verdadeiramente dos assuntos do Seu Pai. Ele dizia: “O tempo está cumprido; o reino
de Deus está às portas; arrependam-se e acreditem no evangelho”.
Era também o que João Batista pregava, e Jesus foi para o local em que ele se encontrava. Vendo-O,
João repetiu:
_ “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Este é Aquele de quem Eu disse: depois de
Mim vem o que é maior do que Eu, pois era antes de Mim.”
As pessoas se atropelavam porque queriam ver Jesus. Entretanto, dois homens ficaram muito
impressionados com Suas palavras! Eles eram pescadores, e se chamavam André e João. Vendo que
eles O seguiam, Jesus Se voltou e perguntou:
- O que procuram?
- Mestre - disseram -, onde moras?
- Venham e vejam - respondeu-lhes.
Então, eles foram com Jesus e passaram a tarde com Ele. Essa breve visita mudou a vida daqueles
homens.
Nesse encontro, surgiram os primeiros discípulos. Na manhã seguinte, André foi à procura do seu
irmão Simão, comunicou a ele que haviam encontrado o Messias, o Cristo Jesus. Então, o chamou de
Pedro, tornando-o Seu discípulo. E dessa maneira, Jesus foi chamando aqueles pescadores para se
tornarem “pescadores” de homem. Vieram também Filipe e Natanael.
Jesus também chamou outros discípulos: Tiago, João, Mateus, Tomé, Tadeu, Tiago (Alfeu), Simão
e Judas Iscariotes. No total eram 12 discípulos que andavam o tempo todo com Jesus e aprendiam
muito com Ele. Quanto mais conheciam a Jesus e viam o que Ele fazia, mais acreditavam ser Ele o Filho
de Deus e sentiam-se felizes por tê-Lo como Amigo.

APELO: Queridos, Jesus continua chamando discípulos, e não importa a idade, basta dizer sim. O
convite é para todos nós. Você quer ser um discípulo do Senhor?









quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Eu dou o melhor

“...Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” Atos 20:35

OBJETIVO: Compreender que devemos dar aos outros, o que gostaríamos de receber.

RECURSOS UTILIZADOS: Caixa de presente bem bonita com uma roupinha de boneca dentro.

INTRODUÇÃO: Quem gosta de ganhar presentes? Claro que todos! Ganhamos no aniversário,
Natal, lembranças de viagens... mas você já ganhou um presente de alguém que você machucou?
Vamos ver como foi isso.

HISTÓRIA: A família da Tati acabara de se mudar para outro país. E ela agora teria que frequentar
uma nova escola. Ela estava muito feliz, pois ia conhecer amiguinhos novos, brincadeiras novas, professora
querida, parquinho... Quanta novidade!
Bem, chegou o grande dia; ela vestiu seu uniforme, mochila nova, lanche saboroso, tudo estava
indo bem. Quando chegou à porta da escola, rapidamente correu para dentro, pois não via a hora de
conhecer sua turminha. A professora era carinhosa, a sala bonita e os coleguinhas bem legais.
Os dias foram passando, e o entusiasmo da Tati foi diminuindo. Já não queria ir à escola; arrumava
desculpas... e quando a mãe perguntava o que estava havendo, ela desviava o assunto. Mas, sua tristeza
foi aumentando a cada dia. Então, sua mãe perguntou seriamente o que estava acontecendo. E
Tati contou: Na escola havia uma coleguinha que todos os dias, beliscava Tati, e ela não contara à professora
porque estava com medo.
A Tati pensou que sua mãe iria até à escola e falaria com a professora para resolver aquela situação.
Mas, a sua reação foi bem diferente: Levando-a até seu quarto, a mamãe pediu que Tati pegasse
a caixa de roupas de bonecas e escolhesse a que mais gostava. Depois disso, pediu que ela levasse de
presente para a coleguinha que a maltratava.
Que ideia era aquela? Como assim, dar um presente a quem me machuca? Ela ficou triste, mas
obedeceu. Escolheu a roupinha de boneca que mais gostava, e no dia seguinte, levou o presentinho
para a escola e o entregou para a coleguinha.
A menina ficou surpresa com aquela atitude de amor. Que coisa linda! A partir daquele dia, elas se
tornaram grandes amigas. E durante todo o tempo em que Tati esteve naquele país, essa amizade foi
cada vez mais forte.
A mãe da Tati foi muito sábia, ensinando à filha que devemos pagar o mal com o bem.
O que Tati ofereceu àquela menina era o que ela tinha de melhor. Nós também devemos oferecer
sempre o melhor, mesmo diante de atitudes egoístas. Devemos dar aos outros, o que gostaríamos
de receber.

APELO: Deus ofereceu o que Ele tinha de melhor, Seu Filho, para pagar o preço do pecado em nosso lugar. Diante desse sacrifício de amor, eu e você temos a oportunidade hoje de dizer: “ Senhor nós aceitamos o Teu sacrifício.”






sexta-feira, 4 de agosto de 2017

A linda e corajosa Abigail

Quando dois de vocês concordam em algo e oram por isso, meu Pai no Céu
entra em ação.” Mateus 18:19

OBJETIVO: Buscar sabedoria do Senhor, para agir corretamente, mesmo quando os outros agem de
forma errada.

RECURSOS UTILIZADOS: Quem for contar a história, deverá vestir-se com roupas dos tempos
bíblicos e usar uma cesta de frutas.

INTRODUÇÃO: A Bíblia conta a história de uma mulher inteligente e sábia, que se mostrou uma
conselheira importante, evitando que um homem de Deus agisse de forma impulsiva e imprudente.

HISTÓRIA (1 Samuel 25:2-42): Davi estava com 400 homens e viviam se escondendo de Saul com
seus soldados. Esse era um tempo difícil para eles. Encontrar alimento para tanta gente no deserto não
era tarefa fácil. Por isso, um dia, Davi mandou dez homens à casa de um agricultor muito rico, chamado
Nabal. Ele possuía milhares de cabeças de ovelhas e de cabras e grandes propriedades, mas era muito
avarento, rude e mau.
Os homens pediram com bons modos, mas Nabal os mandou embora sem nada e ainda os insultou.
Davi ficou muito zangado e achou que nunca tinha sido tão humilhado como foi dessa vez. Então,
decidiu castigar Nabal por sua rudeza e egoísmo.
Acontece que Nabal era casado com Abigail, uma mulher muito inteligente e corajosa. Quando
ela soube pelos seus criados o que tinha acontecido, ficou muito triste com a atitude do marido, até
porque tinha conhecimento de que os homens de Davi já haviam protegido várias vezes os pastores e
os rebanhos das suas propriedades.
Imediatamente, tomou alimentos e levou-os em muitos animais, com a ajuda de seus servos, e
começou a viagem para se encontrar com Davi. Quando ela o viu, procurou convencê-lo de que o
que ele ia fazer era errado e isso não agradaria a Deus. Felizmente, Davi foi amável e atendeu ao seu
pedido. E disse a ela:
- Agradeço ao Senhor por ter enviado você ao meu encontro, evitando que eu fizesse justiça com
as próprias mãos.
Abigail também voltou para casa, mas só no dia seguinte contou ao marido o que havia acontecido.
Ele sofreu um forte choque com o relato, ficando paralisado e morreu dez dias depois.
Davi gostou tanto de Abigail, que depois de ter sabido que ela estava viúva, enviou-lhe mensageiros
com a proposta de casamento. E ela aceitou.

APELO: A personagem em destaque é Abigail, mulher corajosa que intercedeu pelo seu marido e
pelo seu povo ao rei Davi, a fim de impedir uma guerra. Deus hoje convida a cada um de vocês a interceder pelas pessoas que necessitam de ajuda.









quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O Príncipe corajoso

“... Porventura operará o Senhor por nós, porque para o Senhor nenhum impedimento há de livrar
com muitos ou com poucos.” I Samuel 14:6

OBJETIVO: Confiar em Deus em todo o tempo.

RECURSOS UTILIZADOS: Coroa de príncipe, roupas de soldados, escudos, mel em favo, poderá
usar dois meninos (Jônatas e seu escudeiro) ou gravuras.

INTRODUÇÃO: Acha que teria coragem de lutar contra um exército todo, apenas você e um amigo?
Complicado? Chega a ser assustador! Mas a Bíblia conta a história de um príncipe muito corajoso.

HISTÓRIA (1 Samuel 14:1-46): Saul governava havia dois anos, quando as coisas começaram a
não correr muito bem. Ele ficou com um exército de 3 mil homens dentre os que tinham combatido
os amonitas. Mil desses homens ficaram sob o comando de seu filho Jônatas, que atacou uma tropa
de filisteus.
A vingança deles foi tão temida, que os israelitas se refugiaram e se esconderam em cavernas,
penhascos e túmulos.
Samuel mandou dizer a Saul que se encontraria com ele para orar e oferecerem sacrifícios juntos,
mas Saul não esperou e ofereceu o sacrifício sem o profeta.
Samuel o repreendeu por ele não ter obedecido e lhe disse que seu reino iria cair.
Agora Saul, só com os 600 homens que lhe restaram, tinha que enfrentar o exército dos filisteus,
composto de 30 mil carros e 6 mil cavaleiros. Mas foi socorrido por seu filho Jônatas, que continuava
confiando em Deus.
Sem dizer nada ao pai, Jônatas saiu com seu escudeiro por caminhos rochosos em direção ao exército
dos filisteus.
- Venha – disse ao escudeiro – o Senhor não tem dificuldade de nos dar a vitória, quer sejamos
muitos ou poucos. Depois, ele contou seu plano:
- Avancemos de modo que os filisteus nos vejam. Se eles nos mandarem esperar até vir ter conosco,
ficaremos onde estamos. Se nos disserem para avançar e ter que nos apresentar a eles, então avançaremos,
porque é sinal que Deus vai entregá-los em nossas mãos.
Quando os filisteus os viram, zombaram deles e ordenaram que eles avançassem. Porém, os inimigos
ficaram surpresos com o modo como eles combatiam. As montanhas tremeram e o pânico se
apoderou dos filisteus, que começaram a lutar entre si. Alguns dos israelitas saíram dos esconderijos,
uniram-se à batalha e o exército inimigo se dispersou.
Ainda, durante a batalha, Saul proibiu os homens de comerem qualquer coisa, até acabar a luta.
Sem saber dessa ordem, Jônatas comeu mel de favos que viu ali perto. Por isso, ele teria que morrer,
pois desobedecera às ordens do rei, mas o povo gritou: “Como poderá morrer quem nos livrou? Não!
Nem um só fio de cabelo cairá de sua cabeça!” E assim Jônatas foi poupado.

APELO: Que interessante história! Um príncipe destemido que arriscou sua vida em favor dos outros,
porque confiou em Deus. E você? Quer ser corajoso também e lutar no exército do Senhor?






quinta-feira, 20 de julho de 2017

O pecado enterrado

“Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, inclusive tudo o que está encoberto, quer seja bom,
quer seja mau.” Eclesiastes 12:14

OBJETIVO: Entender que Deus sabe todas as coisas, até as que estão escondidas.

RECURSOS UTILIZADOS: Capa, objeto escondido, nas cores prata e dourado (bolsa, saco).

INTRODUÇÃO: Algumas pessoas têm um hábito muito ruim: esconder a verdade. Será que é
possível esconder alguma coisa de todos? Pode até parecer que sim, mas há Alguém de quem não
podemos esconder nada; Ele tem uma lupa gigante e conhece cada um de nós; Ele sabe até quantos
fios de cabelos nós temos na nossa cabeça, e sabe quando escondemos alguma coisa. A Bíblia conta
de um homem que achou que poderia esconder algo do Senhor.

HISTÓRIA (Josué 7:1-24): Depois de vencer em Jericó, os israelitas estavam muito felizes e esperançosos
e logo mandaram homens para a cidade de Ai. Eles foram, mas retornaram derrotados e
muito desanimados.
Josué ficou sem entender e perguntava onde estava o Capitão que lhe prometera as vitórias? Ele se
humilhou e prostrou-se diante do Senhor.
Então, Deus mandou que ele se levantasse e explicou a razão do fracasso. Alguém tinha desobedecido
às Suas ordens e guardado para si coisas que encontrara em Jericó. Enquanto não resolvessem
esse problema, não conseguiriam vencer o inimigo.
Josué ficou aflito. Como poderiam encontrar o culpado entre tantos milhares de israelitas!
Então, ele foi orientado pelo Senhor para fazer um sorteio entre eles. Primeiro, encontraria a tribo,
depois a família e, finalmente o culpado.
Enquanto isso, Acã, que tinha roubado e enterrado as coisas, sentia-se seguro de que ninguém
jamais o descobriria. Mas, quando o sorteio caiu na tribo de Judá, ele começou a ficar inquieto. Depois,
soube que foi escolhida a sua família e a seguir, mais perto ainda, no seu avô. Agora sua ansiedade era
tremenda. E, finalmente, o nome sorteado foi exatamente o dele.
Acã confessou que tinha escondido uma capa babilônica, prata e ouro que trouxera, enterrando-os
debaixo de sua tenda. Que pena! Por causa do seu pecado de desobediência, Israel tinha sofrido uma
grande derrota e muitos homens bons perderam a vida. Acã sofreu as consequências do seu erro.
Lembremos que não há nada que podemos esconder do Senhor. E suas consequências são
inevitáveis.

APELO: Não é fácil falar a verdade, quando fazemos algo errado. Mas, saiba que independente do
erro que você tenha cometido, diga sempre a verdade; não esconda nada; essa é a melhor escolha.
Quer você fazer um acordo com Deus de dizer sempre a verdade?




sexta-feira, 14 de julho de 2017

Cinco meninas corajosas

“Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós.” I Pedro 5:7

OBJETIVO: Perceber que Deus é o Senhor da justiça.

RECURSOS UTILIZADOS: Figuras de cinco meninas (moças), documento que mostre a partilha de bens (tipo testamento), roupas e acessórios dos tempos bíblicos, balança (símbolo da Justiça).

INTRODUÇÃO: Houve um tempo em que as mulheres não tinham direito à herança (explicar o que
é herança), que era dada aos homens.
Quando uma mulher ficava viúva, por exemplo, tinha que ser cuidada por um filho ou parente.
Mas, ocorreu um episódio, digno de registro por ter feito nascer uma lei justa que beneficiou a todas
as mulheres.

HISTÓRIA (Números 27:1-11): Zelofeade, um descendente distante de José, morrera e não deixara
filhos do sexo masculino; ficaram somente cinco filhas: Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza. Só por
serem mulheres, elas não podiam receber nada de herança. Elas não se conformaram com essa situação
e pediram uma entrevista com Moisés. Nunca antes uma mulher havia sido tão ousada.
Então, quando chegaram até Moisés, o líder do povo, elas disseram:
- Nosso pai morreu e não teve filhos. Não queremos que seu nome se apague de nossa família.
Queremos receber a herança de nosso pai.
Moisés consultou a Deus e Ele lhe deu a resposta:
- As filhas de Zelofeade falam com justiça. Deverão herdar juntamente com seus tios. E digo mais,
quando alguém morrer e não tiver filhos, então a herança será para a filha.
Foi assim que essas jovens ficaram conhecidas, beneficiando todas as mulheres desde sua época
até os dias de hoje.
Como é bom saber que o nosso Deus é justo! Ele sempre Se preocupou com todos Seus filhos,
inclusive as mulheres.

APELO: Que história interessante, não é? Cinco garotas destemidas, buscando o que julgavam ser
correto. Mas elas precisaram ter muita coragem! Foram ao seu líder, e ele consultando ao Líder Maior,
deu a elas uma resposta positiva. Vocês também devem ter a coragem de levar a Deus as suas preocupações.
Por que Ele é justo. O que fazer, Senhor? Qual o melhor caminho? Você acredita que Deus
é justo?



A menina cativa e missionária


“Sirvam uns aos outros... (com) amor.” Gálatas 5:13

OBJETIVO: Saber que servimos a Deus com nossos atos e palavras.

RECURSOS UTILIZADOS: Utensílios de casa (bacia, vassoura, pano...), gravuras da história pendurada em varal.

INTRODUÇÃO: Vamos falar hoje de uma menina que não tem seu nome citado na Bíblia, no
entanto, seus atos a identificam como uma menina especial.

HISTÓRIA (2 Reis 5:1-19): A Bíblia nos conta de uma menina escrava ou cativa, que foi morar na
casa do capitão Naamã. Ela gostava muito de trabalhar, era alegre e gentil. E a esposa do capitão a
apreciava muito.
Certo dia, a menina viu a esposa do capitão chorando bastante e quis consolá-la. A senhora lhe
disse que o capitão estava muito doente; ele estava leproso e naquele tempo, a lepra era uma doença
terrível, que não tinha cura. Por isso, a esposa de Naamã estava muito, muito triste. Então, a menina
resolveu ajudá-la e disse:
- Se o meu senhor procurasse o profeta que está em Samaria, ele iria curá-lo da lepra.
No mesmo instante, aquela senhora enxugou as lágrimas e perguntou o seguinte:
- O que você está dizendo, menina? Então, a pequena escrava aproximou-se daquela mulher desconsolada
e contou-lhe tudo a respeito do profeta Eliseu. Disse que ele morava na terra de Israel e
explicou que o Deus do Céu realizava milagres, por meio desse profeta.
A menina aproveitou a oportunidade para contar também tudo o que seus pais lhe ensinaram
sobre o verdadeiro Deus. E a sua senhora ficou impressionada e cheia de esperança ao ouvir aquelas
palavras de ânimo e acreditou em tudo o que ouviu.
Assim que o capitão chegou à casa, aquela senhora falou a ele tudo o que a menina dissera. E interessante
é que ele também creu na história e no mesmo instante, decidiu ir até o rei pedir permissão
e viajar a fim de visitar o profeta. E sabem qual o único remédio que o profeta passou para aquele
comandante ficar curado? Alguém sabe? (esperar que respondam).
Sim, o profeta pediu que ele mergulhasse sete vezes no rio Jordão. E Naamã achou essa receita
muito estranha e não queria obedecer, porque achava que na sua terra havia rios bem melhores que
o rio Jordão. Mas depois, ele decidiu mergulhar e fez exatamente o que o profeta ordenara. E assim,
aquele comandante voltou completamente curado. E a casa foi grandemente abençoada com a presença da menina cativa.

APELO: Todos nós podemos ajudar outras pessoas a servir a Deus em qualquer lugar que estivermos.
Dessa maneira, estaremos honrando o Seu nome e mostrando às pessoas quem é o Deus verdadeiro.
Quem aceita hoje ser um missionário de Jesus?








sábado, 1 de julho de 2017

O menino e o milagre

“Tomando Ele os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu e os abençoou...” Lucas 9:16

OBJETIVO: Compreender que pequenas atitudes nas mãos de Jesus, resultam em grandes milagres.

RECURSOS UTILIZADOS: Cesta de piquenique, dois peixes, cinco pãezinhos, tolha xadrez (para
por no chão), outros lanches (pouca quantidade).

INTRODUÇÃO: O que você faria se tivesse que dividir seu pequeno lanche com muitas pessoas?
(Mostrar alguns lanches) Será que daria para alimentar todas as pessoas que estão aqui? Ter um
coração bondoso? O que isso significa?

HISTÓRIA (Lucas 9:10-17): Quando a mamãe daquele menino preparou aquele lanche, com
apenas dois peixes e cinco pãezinhos, ela não fazia ideia do que iria acontecer com ele.
Jesus estava no meio de uma grande multidão. Eram, sobretudo, viajantes que se dirigiam à Jerusalém
para assistirem à festa anual da Páscoa, mas não queriam perder a oportunidade de ouvir Jesus
e vê-Lo fazer milagres.
As horas se passavam, mas as pessoas não estavam cansadas, nem se lembravam de comer. Mas,
Jesus, estava atento a tudo. Em certo momento, perguntou a Filipe: Onde poderiam comprar pão para
alimentar aquelas pessoas? A Bíblia diz que Jesus fez essa pergunta só para testar, pois Ele já sabia o
que fazer. O discípulo disse que seria uma fortuna, porque havia muitas pessoas. Foi nesse momento,
que um personagem muito diferente aparece na história: Um menino, assim como vocês. Sua mãe
havia preparado um lanchinho para ele, e com uma atitude generosa, ele ofereceu tudo o que tinha
para alimentar aquelas pessoas. André, um dos discípulos, perguntou o que fariam com tão pouco.
Então, o Mestre, com os pãezinhos nas mãos, deu graças a Deus por eles, partiu-os e pediu que os discípulos
os distribuíssem. Depois, fez o mesmo com os peixes.
Os discípulos iam e vinham e sempre tinha mais pão e mais peixes saindo das mãos de Jesus. Até
que todos ficaram satisfeitos. E com as sobras, juntaram doze cestos.
Quando o povo percebeu que um milagre tinha acontecido ali, concluiu que Jesus era, sem dúvida,
o Messias que esperavam.

APELO: Que dia espetacular na vida daquele menino! Uma simples atitude, infantil até, resultou em
um grande milagre. Assim, é também na nossa vida; uma simples atitude nas mãos do Mestre Jesus,
resulta em grandes milagres. Você quer ser um menino, uma menina como aquele? Ele entregou tudo
e você o que tem para Jesus?



quinta-feira, 22 de junho de 2017

O escriba fiel às normas


“Mas, faça-se tudo decentemente e com ordem.” 1 Coríntios 14:40

OBJETIVO: Compreender que fazer a vontade de Deus está acima de nossas vontades.

RECURSOS UTILIZADOS: Fotos de famílias (falar de saudade, distância), animais (camelos,
jumentos... caravana), lenço (para representar o choro).

INTRODUÇÃO: Nem todos os judeus que moravam em Babilônia saíram quando o rei Ciro os
libertou. Dentre os que ficaram estava Esdras, um homem temente a Deus.

HISTÓRIA (Esdras 10:1-19): Esdras era um descendente de Arão; ele era “escriba instruído na lei
do Deus do Céu”. Ele pediu ao rei para organizar uma caravana de judeus para irem até Jerusalém.
Além de deixá-lo ir, o rei deu ordens para que todos os que quisessem acompanhar Esdras poderiam ir
também. Também, foi autorizado que levassem ouro e prata, presentes do próprio rei e de seus conselheiros
para o Deus de Israel, e todas as ofertas que o povo quisesse dar para o templo.
Feliz pela consideração do rei, Esdras organizou a caravana. Eles estavam levando muitas coisas de
valor, e não se esqueceram de pedir a proteção de Deus. Após quatro meses de viagem, chegaram são
e salvos em Jerusalém. O reencontro trouxe muita felicidade para Esdras. Como era bom encontrar
seus amigos, seus familiares!
Mas, passado algum tempo, ele começou a perceber algo que o deixou muito desanimado. Alguém
lhe contou que alguns israelitas, incluindo chefes e dirigentes, tinham se casado com mulheres pagãs
dos povos vizinhos e estavam envolvidos nas mesmas práticas erradas de idolatria que esses povos.
Que tristeza! Esdras chorou! Sua tristeza era tão profunda que parecia que ele havia perdido seus
familiares mais queridos.
A Bíblia diz que no final da tarde, ele saiu da sua tristeza. Orou ao Senhor clamando misericórdia
e pedindo perdão. Pediu ao Senhor que desse mais uma oportunidade a eles. Depois, chamou o
povo e contou-lhe de sua preocupação e pediu que resolvessem a situação o mais rápido possível.
Não foi fácil desmancharem os laços afetivos; foram necessários três meses para que todos os casos
fossem resolvidos.
A partir daquele dia, Esdras se tornou conhecido por ter organizado a vida religiosa e social do
povo, sempre com a preocupação de ser fiel às ordens divinas.

APELO: Nosso Deus é um Deus de amor e misericórdia. Fazer a Sua vontade é nossa demonstração
de gratidão por tudo o que Ele tem feito de bom. Então, temos hoje a oportunidade de fazer as pazes
com Deus, voltando a seguir Seus ensinos. Quer você fazer a vontade de Deus?





segunda-feira, 19 de junho de 2017

Amor em ação



“Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons...” 1 Coríntios 12:31

OBJETIVO: Compreender que devemos usar ao máximo nossas capacidades no serviço de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Moedas antigas ou dinheiro, cartazes (cartões) com gravuras de dons.

INTRODUÇÃO: Jesus preocupava-Se muito com Seus discípulos. Ele sabia que não estariam juntos
por muito tempo. E em cada ocasião Ele aproveitava para contar uma história para eles.

HISTÓRIA (Mateus 25:14-30): Um homem de negócios, antes de sair para uma longa viagem,
chamou os três empregados e entregou a cada um, determinada quantia de dinheiro. Depois, disse-lhes
que teriam que fazê-la render, enquanto estivesse fora.
Entregou a cada um, segundo sua capacidade. Assim, ao primeiro, deu cinco talentos; ao outro,
dois; e ao terceiro, apena um; e foi embora.
O homem que recebeu cinco talentos pensou logo na melhor maneira de empregá-los para ganhar
dinheiro. Então, começou a trabalhar, de modo que, depressa, ganhou outros cinco talentos.
O que recebeu dois fez algo parecido, conseguindo também o dobro.
Mas o que recebeu apenas um talento cavou um buraco no chão e enterrou ali o dinheiro, com a
desculpa de que não queria que ninguém o roubasse.
Passado um tempo, o patrão chegou de viagem e chamou os empregados, pois queria saber sobre
o dinheiro que tinha deixado com eles.
O primeiro mostrou dez talentos e ele lhe disse: - Servo bom e fiel você será recompensado.
Também para o segundo servo, ele prometeu uma recompensa semelhante.
Quando chegou a vez do terceiro apresentar as contas, ele se desculpou dizendo:
- Senhor, sabendo que és um homem bravo, com medo, eu escondi na terra o seu talento; aqui
está ele.
O patrão o repreendeu:
- Servo mau e negligente, você ao menos deveria ter colocado o meu dinheiro no banco para que
rendesse. Tirem o dinheiro desse homem e deem-no ao que tem dez talentos, porque o que usa bem
o que lhe dão terá até mais. Porém, aquele que não é fiel, até o pouco lhe será tirado.
Nessa história o patrão representa Deus, que foi para longe, mas deixou vários talentos, ou seja,
capacidades para as pessoas. Será que estamos nos esforçando para desenvolvê-las?

APELO: Utilizar nossos talentos para ajudar os outros é amor em ação. É isso que faz a diferença, que
separa os salvos dos perdidos. Hoje, o pedido é que dediquemos nossos dons, nossas qualidades em
favor dos outros. Quer você fazer isso?




sexta-feira, 9 de junho de 2017

As dez moças


“Vigiai pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.” Mateus 25:13

OBJETIVO: Compreender que devemos estar atentos aos sinais da volta de Jesus.

RECURSOS UTILIZADOS: Vestidos de dama de honra, lâmpadas, travesseiro, relógio marcando
meia-noite.

INTRODUÇÃO: A propósito da Sua segunda vinda à Terra e da necessidade de se estar atento aos
sinais, Jesus contou esta história.

HISTÓRIA (Mateus 25:1-13): Havia dez moças que foram convidadas para serem damas de honra
de um casamento. Elas estavam vestidas e preparadas, de acordo com a cerimônia e ansiosas por
tomarem parte na festa.
A cerimônia seria no fim do dia; por isso, cada pessoa tinha que levar uma lâmpada de azeite para
iluminar o caminho. Acontece que cinco delas decidiram levar uma vasilha com algum azeite extra,
para o caso de haver algum atraso e terem de esperar mais tempo que o previsto. E, de fato, depois de
estarem prontas, tiveram que esperar como era costume, que o noivo fosse buscar a noiva em casa,
onde elas estavam também.
Ali, os convidados da noiva se juntariam aos do noivo e o cortejo seguiria para o local da cerimônia.
As moças estavam animadas, conversando alegremente. Mas, como o noivo demorava, e elas se
sentiam cansadas por causa dos preparativos, acabaram dormindo. De repente, à meia-noite, ouviram
o anúncio:
- O noivo está chegando!
Acordaram assustadas, ajeitaram-se e pegaram as lâmpadas. Mas estas já haviam se apagado por
falta de combustível.
Então, chegou o noivo. As cinco jovens que haviam levado azeite extra, juntaram-se ao grupo, chegaram
ao local da festa e entraram. Em seguida, fechou-se a porta.
E as outras cinco foram procurar azeite, mas ao voltarem com a luz acesa, já era tarde demais; a
porta estava fechada. Elas tinham perdido o privilégio de acompanhar o cortejo e participar da festa.
Mesmo assim, foram até lá e suplicaram que lhes abrissem a porta, mas o dirigente da festa disse lá
de dentro:
- Não sei quem são vocês!
A lição que Jesus quis ensinar é que todos devem estar preparados para Sua vida. O noivo representa
Jesus e a festa do casamento é a ida para o Céu.

APELO: Queridas crianças, tem um segredinho que quero compartilhar com vocês: Para estarmos
prontos para a vinda de Jesus, não podemos perder tempo com distrações. Temos que ter reserva de
“azeite”. E essa reserva nós conseguimos através da comunhão com Jesus (estudo, oração e serviço).
Quer você ter essa reserva a cada dia e estar pronto para receber a Jesus?




quinta-feira, 1 de junho de 2017

O rapaz rico

Buscai, pois a Deus em primeiro lugar, e todas as outras coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33

OBJETIVO: Perceber que o mais importante é amar a Deus sob todas as coisas.

RECURSOS UTILIZADOS: Gravuras de Jesus e um rapaz, roupas dos tempos bíblicos (luxuosa),
cartões com as qualidades do cristão.

INTRODUÇÃO: Jesus gostava de contar muitas histórias. Em cada uma delas, Ele deixava uma lição.

HISTÓRIA (Mateus 19:16-26): Um dia, um rapaz forte, de boa aparência, aproximou-se de Jesus.
Dava para perceber que era educado, que pertencia a uma ótima família.
- Bom Mestre - começou o rapaz, inclinando-se respeitosamente -, o que devo fazer para ganhar a
vida eterna?
Sentindo afeição por aquele jovem, Jesus lhe respondeu da seguinte maneira:
- Você conhece os mandamentos: não matar, não roubar, não mentir, respeitar os pais...
O rapaz interrompeu Jesus, e disse, Mestre, desde menino eu faço tudo isso.
Jesus parou um momento. Depois, olhando em seus olhos, disse-lhe com amor:
- Falta-lhe uma coisa. Se você quer ser perfeito, vá venda tudo o que tem, dê o dinheiro aos pobres
e terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-Me.
Como não gostou de ouvir aquele conselho, o rapaz desviou o olhar de Jesus e, tristemente, foi
embora. Ele estava preso demais à sua riqueza; mesmo conhecendo os mandamentos, não percebia
que o que Deus deseja é um coração bom e cheio de compaixão para com os mais necessitados.
Foi nesta mesma ocasião em que Jesus disse ser mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma
agulha do que um rico desligar-se de suas riquezas para poder entrar no Céu.
Os discípulos acharam que assim era difícil alguém se salvar. Mas Jesus acrescentou: humanamente,
ninguém pode se salvar, mas para Deus, tudo é possível.

APELO: Aquele não foi um momento feliz para Jesus. Ele não quer que ninguém se perca. Mas, aquele
moço fez sua própria escolha. E você o que vai escolher? A vida eterna ou as riquezas deste mundo?







sexta-feira, 26 de maio de 2017

Uma pesca diferente

“Disse-lhes Jesus: vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens.” Mateus 4:19

OBJETIVO: Aceitar o convite de Jesus de buscar pessoas para Seu reino.

RECURSOS UTILIZADOS: Rede de pesca, peixes de algum material, gravuras de pessoas ou
bonecos.

INTRODUÇÃO: Vocês já pescaram alguma vez? Foi fácil? E pescar pessoas? Que coisa estranha! A
história de hoje fala de uma pesca que começou com peixes e terminou com pesca de homens.

HISTÓRIA (João 21:1-19): Quando terminou a Festa da Páscoa, as pessoas voltaram para suas
casas. Mas o assunto das suas conversas eram os últimos acontecimentos relativos a Jesus: a marcha
para o Calvário, as trevas que cobriam a cruz, o túmulo vazio e todo o mistério que aquelas cenas
envolviam.
Os discípulos, também estavam retomando à vida deles. Relembravam os momentos maravilhosos
que haviam passado ao lado de Jesus. Então, Pedro sugeriu que fossem pescar.
Lançaram as redes, como costumavam, mas não pescaram nada. Tentaram durante toda a noite.
Ao amanhecer, avistaram um Homem em pé na praia, que lhes perguntou:
- Amigos, apanharam algum peixe?
Diante da resposta negativa, o Homem, que eles não tinham conseguido reconhecer, sugeriu:
- Lancem a rede do lado direito do barco. Eles questionaram dizendo que haviam tentado a noite
toda, mas sem resultados. Mas, mesmo assim o fizeram.
O resultado foi tão extraordinário, que eles mal conseguiam puxar a rede, de tão pesada, por causa
da quantidade de peixe recolhido. Então, olhando para a praia, João disse: - É o Senhor!
Pedro não resistiu. Saltou para a água e nadou rapidamente até a praia. Os outros arrastaram os
barcos e as redes cheias de peixes.
Quando chegaram à praia, havia uma fogueira. E viram que Jesus lhes havia preparado uma
refeição. E Ele lhes fez o convite: - Venham comer!
Depois, Ele lhes serviu peixe e pão. Esta foi a terceira vez que Jesus apareceu aos discípulos, depois
de ter ressuscitado.
Jesus sabia que em breve voltaria para o Céu e deixaria Seu precioso rebanho. E estava ali para
fazer um convite aos discípulos, especialmente a Pedro.
Ele precisava que Pedro prometesse cuidar do “rebanho”. E Pedro assumiu esse compromisso
diante do Senhor.
Antes de se despedir de Pedro, Jesus lhe deu a entender o que significava verdadeiramente “amálo”.
É que ele também seria crucificado como seu Mestre.
E foi naquela ocasião que Pedro deixou definitivamente de ser pescador de peixes para se dedicar
totalmente à função de cuidar das pessoas e “pescar” homens e mulheres para o reino de Deus.

APELO: Queridos, vocês também podem ser pescadores de homens e mulheres; não precisa de uma
rede, de uma vara de pesca; precisa apenas se comprometer com Jesus e falar para outros a respeito
do Seu amor por nós. Querem vocês fazer parte deste grupo de pescadores?





quinta-feira, 18 de maio de 2017

Um bom menino rei

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e mesmo quando for velho, não
se desviará dele.” Provérbios, 22:6

OBJETIVO: Honrar a Deus o tempo todo.

RECURSOS UTILIZADOS: Personagem rei menino, pergaminho, Bíblia, bambu fino ou uma varinha dentro de um cano de PVC (no cano escrever “Lei de Deus”, ele representa a proteção).

INTRODUÇÃO: O povo de Deus havia se afastado mais uma vez de Deus. E cabia a seu líder trazê-
-los novamente para perto de Deus.

HISTÓRIA (2 Reis capítulos 22 e 23): Josias foi rei quando tinha apenas oito anos de idade. A
Bíblia diz que ele sempre fazia o que era correto aos olhos do Senhor. Quando ainda muito jovem, ele
obrigou que tirassem de toda a Judéia e de Jerusalém os altares e outros objetos que representavam
outros deuses, outra crença que não fosse a verdadeira. Também era necessário fazer reformas no
templo. Josias pediu dinheiro ao povo, que contribuiu voluntariamente. Compraram madeira e pedra,
mas algo muito interessante aconteceu durante a reforma do templo. O sumo sacerdote estava guardando
o dinheiro dentro da arca, e ao esvaziá-la, encontrou um pergaminho, onde estava escrita a Lei
do Senhor, dada a Moisés, e que há muito tempo, estava desaparecida.
Quando Josias ouviu o que estava escrito ali, ficou muito perturbado ao perceber até que ponto o
comportamento do povo estava longe do que Deus desejava. A Lei de Deus devia ser transmitida de
boca em boca, pois não havia Bíblia. Por mais que os profetas tentassem, o povo não obedecia às leis
divinas.
Então, Josias se humilhou e orou diante de Deus, arrependido por não fazerem a Sua vontade.
Deus aceitou a oração de Josias.
Josias convocou todo o povo, leu para eles o que estava escrito, prometeu publicamente obedecer
aos mandamentos e pediu para que o povo também o fizesse.
A Bíblia diz que nunca houve, antes ou depois, um rei como Josias, que fosse tão fiel ao Senhor,
com todo o coração, alma e força! Ele reinou por trinta e um anos.

APELO: Por que acertar parece tão difícil? Amigos, esse cano aqui (mostrar o cano) representa a Lei
de Deus, e nós estamos aqui dentro, sem ela somos muitos frágeis, fáceis de quebrar. Quem quer ser
protegido pela Lei de Deus?






sexta-feira, 12 de maio de 2017

Uma visita ilustre

A rainha de Sabá soube da fama que Salomão tinha alcançado, graças ao nome do Senhor, e foi a
Jerusalém para pô-lo à prova com perguntas difíceis”. 1 Reis 10:1

OBJETIVO: Compreender a importância de testemunhar de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Objetos que representem riqueza, mapa mostrando a distância entre o
Sul da Arábia e Jerusalém.

INTRODUÇÃO: Após a morte de Davi, seu filho Salomão ocupou o trono. Ele era um rei muito sábio
e generoso. Despertando assim a curiosidade de outros reis.

HISTÓRIA (1 Reis 10:1-13): A fama da riqueza e sabedoria de Salomão se espalhou, despertando
muita curiosidade. Por isso, era frequente ele receber visitas de reis de outras terras. Propunham-lhe
negócios e levavam presentes muito valiosos, que contribuíram para que ele se tornasse ainda mais
rico, o mais rico e mais sábio de todos os reis da Terra. Para você ter uma ideia da sua riqueza, ele possuía
1.400 carros e 12 mil cavalos. Seu trono era de marfim, revestido de ouro fino.
Certa ocasião, entre os visitantes famosos, Salomão recebeu a visita da rainha de Sabá, que viajou
do Sul da Arábia até Jerusalém, com grande comitiva de camelos carregados de riquezas. Ao ver a
sabedoria e a riqueza de Salomão, o palácio, os alimentos que eram servidos, os aposentos dos seus
servos, os uniformes dos seus oficiais, ela exclamou com admiração: “o que me contaram do seu país
não corresponde sequer metade do que estou vendo aqui. Seu povo é feliz, os trabalhadores satisfeitos.
Bendito o Senhor, seu Deus, que o escolheu e o colocou no trono. Ele deve amar muito esse
povo, pois escolheu um rei justo e bom.” Ela deu a Salomão mais de quatro toneladas de ouro, muitos
perfumes e pedras preciosas.
Em troca, o rei deu-lhe tudo o que ela pediu, assim como alguns presentes pessoais.
E ela regressou ao seu país com a lembrança de um rei abençoado pelo Deus do céu.

APELO: Todos os dias, nós mostramos às pessoas quem somos. Na escola, em casa, no shopping, no
parquinho... será que estamos representando bem o nosso Deus? Salomão deu um bom testemunho
sobre a benção do Senhor na vida dele. Quem deseja contar aos outros sobres as bênçãos do Senhor
na sua vida?






quinta-feira, 4 de maio de 2017

Um rei humilde

“Agora, pois, ó Senhor Deus, Tu mesmo és Deus, e as Tuas palavras são verdade, e tens
prometido a Teu servo este bem.” 2 Samuel 7:28

OBJETIVO: Reconhecer a soberania de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Coroa de rei, roupas dos tempos bíblicos, em cabide (representando o
profeta Natã).

INTRODUÇÃO: Alguma vez, um de vocês pediu algo aos seus pais, como: um presente, um passeio...
e no dia combinado, recebeu algo muito melhor? Aconteceu isso com um poderoso rei.

HISTÓRIA (2 Samuel 7:1-29): Davi foi viver num lindo palácio, na cidade de Jerusalém. Aparentemente,
tinha tudo para se sentir feliz, mas havia algo que o preocupava muito.
Certo dia, ele falou ao profeta Natã que não se sentia bem vivendo num palácio, enquanto a arca
do concerto (que representava a presença de Deus) permanecia em uma tenda.
Ele desejava construir um templo que fosse melhor que seu palácio; um lugar em que Deus pudesse
ser adorado com dignidade.
Então, através de Natã, Deus enviou uma mensagem muito importante para o rei Davi. A mensagem
era a seguinte: “não será você quem construirá um templo para que Eu habite nele. Tirei você
das pastagens, dos rebanhos, para fazer de você o chefe do Meu povo, Israel. Dei a você uma vida
tranquila, livrando-o dos seus inimigos. Quando sua vida chegar ao fim, colocarei um dos seus filhos
como rei. Ele é quem construirá Meu templo.”
Quando ouviu essa mensagem, Davi ficou muito emocionado, entrou no tabernáculo, inclinou-se
humildemente e fez esta lindíssima oração de agradecimento:
“Ó Senhor Deus, quem sou eu e quem é minha família para que tenhas feito chagar até aqui?
Fizeste promessas sobre o futuro da dinastia do Teu servo. E que mais poderia eu dizer, Senhor, se Tu
conheces tão bem este Teu servo? Tu, Senhor és o Deus verdadeiro. As Tuas palavras são verdadeiras
e, por isso, fizeste ao Teu servo essa promessa que o torna tão feliz. Digna-Te, pois, abençoar a minha
dinastia para que esteja sempre debaixo da Tua proteção.”

APELO: Que exemplo de humildade nós encontramos no rei Davi! Ele poderia ter ficado chateado
com o Senhor, mas reconheceu a soberania dEle, e seu coração se encheu de alegria e gratidão a Deus
pela bênção recebida. Quer você hoje ser humilde também e reconhecer que o nosso Deus sabe o
que é melhor para sua vida?



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Ao doar, adoro a Deus

“Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à
prova”, diz o Senhor dos Exércitos, “e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre
vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las”. Malaquias 3:10

OBJETIVO: Entender que ofertar também é adoração.

RECURSOS UTILIZADOS: Moedas, dinheiro, gravura do Templo e de uma igreja atual, objetos de valor.

INTRODUÇÃO: Crianças, quando vocês gostam de um brinquedo na loja, como vocês fazem para
tê-lo? Vão à loja e pegam o que querem? Claro que não. É preciso ter dinheiro para comprar. Tudo o
que temos: roupas, livros, brinquedos, alimentos... é preciso pagar por essas coisas. A casa de Deus, o
lugar de adoração, também precisa de recursos para se manter. A Bíblia nos conta uma história muito
bonita, que demonstra que ofertar faz parte da adoração a Deus.

HISTÓRIA (Êxodo 35:20-29): Moisés desceu do monte depois de ter passado mais 40 dias lá. Ele
trazia novas tábuas com os Dez Mandamentos escritos, pois as primeiras foram quebradas.
Dessa vez, o povo estava muito diferente e preparava-se para construir o santuário. Antes, porém,
Moisés pediu que trouxessem ao Senhor uma oferta voluntária em ouro, prata, bronze, joias, linho
fino, peles, madeira de acácia, azeite e outros materiais.
Moisés sabia que eles possuíam tudo isso, porque haviam trazido muitas riquezas dos egípcios.
Disse-lhes que deveriam trazer esses objetos de forma espontânea.
Todos se dirigiram a suas tendas e, ao voltarem, fizeram longas filas. A Bíblia diz que vieram homens
e mulheres, todos os que colocaram no coração esse propósito, e trouxeram ofertas de ouro, pedras
preciosas, joias, tecidos finos, peles de animais tingidas, prata, bronze e madeira de acácia suficiente
para a construção. E assim conseguiu tudo o que era necessário para o tabernáculo, segundo as instruções
de Deus.
Depois, Moisés anunciou quem iria dirigir a obra. Esse homem era chamado de Bezalel e era neto
de Hur, da tribo de Judá.
Diz a Bíblia que o Espírito de Deus o encheu de habilidade, inteligência e conhecimento. Ele se
tornou um ótimo artesão e desenhista, e também ensinou outros a trabalhar em peças de ouro, prata,
bronze, madeira e pedra.
Aquelas pessoas tinham muito a agradecer a Deus, pois haviam sido libertas da escravidão, guiadas
pelo Senhor em toda a viagem e agora tinham a oportunidade de participar da adoração ao Senhor
com seus bens.

APELO: Queridas crianças, a adoração a Deus consiste em um conjunto de ações: ler a Bíblia, orar,
cantar, participar dos cultos... e também de doar parte do que o Senhor nos tem dado. Mesmo assim,
ainda é muito pouco, diante de tantas bênçãos recebidas a cada momento. Quer você hoje ser um
doador também?




quinta-feira, 20 de abril de 2017

O código do Amor

“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma, o testemunho do Senhor é fiel, e
dá sabedoria aos simples.” Salmos 19:7

OBJETIVO: Compreender que a Lei de Deus reflete o caráter dEle.

RECURSOS UTILIZADOS: Espelho, papel grande (tipo cartão) com escrita ou gravuras, representando os Dez Mandamentos, cartões de regras (trânsito, limite peso, limite de altura...)

INTRODUÇÃO: O que vocês acham que são regras? A impressão que temos é que as regras são
ruins; não pode isso, não pode aquilo... mas você já parou para pensar que as regras podem salvar
nossas vidas? O que vocês acham, por exemplo, que aconteceria se não tivéssemos sinais de trânsito?
Deus Se preocupa tanto conosco que nos deixou algumas regras para que possamos viver melhor.

HISTÓRIA (Êxodo 20:1-17): Os israelitas chegaram à região do Sinai três meses depois daquela
noite em que saíram do Egito. O povo havia aprendido muitas coisas diferentes das que o Senhor lhes
ensinara. Agora, estavam indo para a direção oposta do seu destino. Mas Deus estava agindo assim
porque amava aquele povo e queria salvá-lo.
Deus estava preparando aquele povo com o objetivo de dar a conhecer o mundo, o plano da salvação
e revelar o Seu grande amor por eles.
Mas, para falarem aos outros sobre Deus, eles próprios tinham que saber distinguir entre o bem e
o mal, e escolher sempre o certo.
Então, Deus arquitetou um plano para passar o conhecimento de Sua vontade ao povo. Pediu a
Moisés que preparasse o povo, que se purificasse, e “Ao terceiro dia, o Senhor descerá sobre o Sinai,
diante de todo o povo”.
Foi muito grande a agitação no acampamento. Quando amanheceu o terceiro dia, o Sinai estava
envolto em uma nuvem ardente; tremia e fumegava como se houvesse um vulcão ali.
De repente, por entre o fogo e a fumaça, ouviu-se uma voz admirável, profunda e melodiosa – a
voz de Deus – que disse: “Eu sou o Senhor, teu Deus, que te fez sair do Egito, da terra da escravidão”.
Depois Deus lhes apresentou os Dez Mandamentos:
I. Não terás outros deuses diante de Mim.
II. Não farás para ti imagem de escultura.
III. Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.
IV. Lembra-te do dia de sábado para o santificar.
V. Honra teu pai e tua mãe.
VI. Não matarás.
VII. Não adulterarás.
VIII. Não furtarás.
IX. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
X. Não cobiçarás a casa do teu próximo.
Foi por nos amar que o Senhor deixou a Sua Lei como um espelho para nos guiar no caminho certo.

APELO: Queridos, para obedecermos é preciso amar ao Senhor. Quando O amarmos mais do que
qualquer outra coisa, faremos a vontade dEle. Quer você hoje amá-Lo?



sexta-feira, 14 de abril de 2017

O Cordeiro

https://www.youtube.com/channel/UCa0Nja57-8BPQn3C2e-qhhw

O Resgate

“Porque o Senhor passará para ferir os egípcios; quando vir, porém, o sangue na verga da
porta... passará o Senhor aquela porta, e não permitirá ao destruidor que entre em
vossas casas, para os ferir” Êxodo 12:23

OBJETIVO: Entender que vale a pena ficar ao lado de Deus.

RECURSOS UTILIZADOS: Pão (tipo árabe), ervas amargas, tinta vermelha, uma porta de madeira
ou papel imitando madeira.

INTRODUÇÃO: O povo de Deus já era escravo há muito tempo no Egito, e Deus queria libertá-lo.

HISTÓRIA (Gêneses 12:1-36): Deus chamou Moisés para a missão de libertar o povo da escravidão,
mas o Faraó não os libertava. O Senhor enviou pragas ao Egito, mas o rei não mudava de ideia. (Poderá
recordar as pragas)
Então Deus mandou Moisés anunciar a 10ª praga a Faraó. Moisés disse a Faraó que Deus enviaria
um anjo para ferir os primogênitos dos egípcios. O filho mais velho de cada família seria morto, inclusive
dos animais.
Porém, antes que Deus enviasse a última praga ao Egito, ordenou a Seu povo que fizesse uma série de
coisas: comer carne assada de cordeiro e pão, calçar sandálias, ficar com o cajado nas mãos (era o bastão
que os pastores usavam para conduzir as ovelhas), todos deviam estar prontos para viajar. Mas, porque
será que Deus estava pedindo essas coisas? Porque Deus os tiraria do Egito, o mais rápido possível.
Também, Deus mandou que as famílias de Israel colocassem o sangue de um cordeiro nos portais
das casas (lado de cima da porta), para que seus primogênitos não fossem mortos. Esse era o sinal
para marcar as casas dos israelitas. Por isto, o povo não poderia desobedecer a esta ordem, e se o
fizesse, seus filhos morreriam.
A essa preparação para o povo sair do Egito, Deus chamou de Páscoa. E quando os israelitas
entrassem na Terra Prometida, eles deveriam fazer uma festa para comemorar aquele dia, que seria a
primeira Páscoa.
A Páscoa é para lembrar que Jesus morreu e derramou Seu sangue para nos salvar do pecado, e
que depois de três dias, Jesus ressuscitou.
Depois que os israelitas fizeram tudo o que Deus mandou, Ele enviou a última praga: a morte dos
primogênitos. O Senhor feriu todos os primogênitos do Egito. Os filhos dos israelitas não morreram
por causa do sangue do cordeiro que havia na porta da casa deles. Só depois da morte dos primeiros
filhos de cada família, inclusive do filho de Faraó, que ele resolveu libertar o povo de Israel.

APELO: O sangue de um cordeiro, passado nas portas das casas, livrava da morte o filho mais velho
da família. Na festa da Páscoa, nós lembramos a morte de Jesus, que também derramou o Seu sangue
para nos libertar do pecado, e também que Ele ressuscitou para nos dar uma nova vida. Você aceita
Jesus como seu Salvador?




sexta-feira, 7 de abril de 2017

Respeitar a vontade do Pai



“Serviremos ao Senhor nosso Deus e lhe obedeceremos”. Josué 24:24

OBJETIVO: Respeitar a vontade de Deus como soberana.

RECURSOS UTILIZADOS: Pedaço de capa, espada, escudos, vendas (para representar escuridão).

INTRODUÇÃO: Quem gosta de brincar de esconde-esconde? É divertido, não é mesmo? Mas dá
um friozinho na barriga, quando estamos escondidos com medo de ser descobertos! Imaginem vocês
estarem em uma caverna escura, escondidos, e o seu adversário entra na mesma caverna? Nossa!
Assustador! A história de hoje nos conta de um episódio na vida de dois homens que estavam na
mesma caverna. Mas, um não gostava do outro.

HISTÓRIA (1 Samuel 24-1-22): Saul estava determinado a encontrar Davi. Apesar dele não ter
feito nada para prejudicar o rei Saul. E foi informado a ele que Davi estava no deserto de En-Gedi.
Então, Saul convocou três mil homens, dos melhores soldados de Israel e partiu no encalço de Davi e
seus homens. Foram para a região dos rochedos dos Bodes Selvagens. Ele chegou até o local que havia
alguns currais de ovelhas, ao lado da estrada. Perto dali havia uma gruta, e Saul entrou nela. Acontece
que Davi e seus homens também estavam amontoados no fundo dessa gruta. Os homens de Davi lhe
disseram:
- Você acredita nisso? O Senhor deve estar dizendo: “Entregarei o seu inimigo em suas mãos. Faça
com ele o que bem entender”. Davi, silenciosamente, cortou um pedaço da vestimenta de Saul. Mas,
no mesmo instante, sentiu-se culpado e disse a seus homens:
-Que o Senhor me livre de fazer algum mal ao meu senhor. Não vou levantar um dedo contra ele.
Ele é o ungido de Deus!
Assim, Davi impediu que seus homens acabassem com a vida de Saul. O rei levantou-se e saiu da
caverna para seguir seu caminho.
Então, Davi se pôs à entrada da gruta e gritou para Saul:
- Meu senhor! Meu rei!

APELO: Crianças, vocês acham que é fácil obedecer? Aos pais, professores, avós... Às vezes, é complicado!
Mas, Deus é tão maravilhoso, que nos dá hoje a oportunidade de fazer a vontade dEle. Quer
você hoje dizer: Senhor Jesus, eu quero hoje ser obediente a Ti?